GP do Japão: Verstappen vence, se aproxima do tri e RBR é hexa

Bicampeão agora precisa de apenas três pontos para faturar título da F1 2023 no GP do Catar. Norris foi segundo e Piastri terceiro, levando seu primeiro pódio após duelos internos e externos com a Mercedes

De ponta a ponta, Max Verstappen venceu pela 13ª vez em 2023 na madrugada desse domingo, no GP do Japão, e está mais perto que nunca de seu tricampeonato mundial. O resultado ainda garantiu o hexacampeonato de construtores da RBR com seis corridas de antecedência. Lando Norris foi segundo, sucedido pelo colega e calouro da McLaren Oscar Piastri - no primeiro pódio da carreira.

Max liderou todos os treinos livres da etapa e largou da pole position, fazendo ainda a melhor volta da prova no Circuito de Suzuka. Agora, tem 400 pontos na classificação, 177 a mais que o vice-líder Sergio Pérez. Com 180 pontos em jogo, se ele faturar três em comparação com o colega da RBR na corrida sprint do GP do Catar, daqui a duas semanas, será tricampeão.

A RBR conquistou seu hexa de construtores de forma consecutiva, após ter faturado o quinto título em 2022. O resultado confirma o reestabelecimento da dominância do time, que já é quase tri de pilotos (2021, 2022 e 2023) com Verstappen mas enfrentou um jejum de nove anos no Mundial de equipes, desde o tetra com Sebastian Vettel entre 2010 e 2013.

Por outro lado, a equipe pontuou apenas com seu líder na corrida deste domingo. Sergio Pérez largou em quinto lugar mas se envolveu em dois incidentes, foi punido duas vezes com 5s e ainda voltou para a pista para dar três voltas - mais de 20 após ter, inicialmente, abandonado a corrida. Agora o mexicano tem Lewis Hamilton, terceiro no Mundial, a 33 pontos dele - eram 40 de vantagem até então.

E se Verstappen conduziu sua vantagem com segurança nas 53 voltas, a situação não foi tão tranquila nas posições subjacentes: a McLaren, segunda força do fim de semana, se viu em alguns conflitos internos e também com a Mercedes, que surgiu como sua rival pelas últimas vagas no pódio. A Ferrari, correndo por fora, pôs Charles Leclerc em quarto lugar, obtendo com ele seu melhor resultado.

Piastri, que largou de forma inédita na primeira fila, foi superado por Norris na abertura da corrida. No decorrer da prova, chegou a ficar na frente do colega, que teve seu pit stop antecipado, mas acabou cedendo a dianteira após certa resistência. A McLaren fez sua quarta aparição no pódio em 2023.

Resultado

  1. Max Verstappen (RBR)*
  2. Lando Norris (McLaren) +19s387
  3. Oscar Piastri (McLaren) +36s494
  4. Charles Leclerc (Ferrari) +43s998
  5. Lewis Hamilton (Mercedes) +49s376
  6. Carlos Sainz (Ferrari) +50s221
  7. George Russell (Mercedes) +57s659
  8. Fernando Alonso (Aston Martin) +1m14s725
  9. Esteban Ocon (Alpine) - +1m19s678
  10. Pierre Gasly (Alpine) +1m23s155
  11. Liam Lawson (AlphaTauri) - 1 volta
  12. Yuki Tsunoda (AlphaTauri) - 1 volta
  13. Guanyu Zhou (Alfa Romeo) - 1 volta
  14. Nico Hulkenberg (Haas) - 1 volta
  15. Kevin Magnussen (Haas) - 1 volta
    Alexander Albon (Williams) - ABANDONOU
    Logan Sargeant (Williams) - ABANDONOU
    Lance Stroll (Aston Martin) - ABANDONOU
    Sergio Pérez (RBR) - ABANDONOU
    Valtteri Bottas (Alfa Romeo) - ABANDONOU

A F1 retorna daqui a duas semanas com o GP do Catar em 8 de outubro, válido como a 17ª etapa da temporada. Verstappen já pode cravar o tricampeonato mundial em Losail

A largada

Piastri e Norris cercaram Verstappen dos dois lados, mas a aproximação maior do britânico da McLaren, novo vice-líder, não foi suficiente para ameaçar o bicampeão. Logo atrás deles, Charles Leclerc, quarto colocado, teve uma reação mais lenta na largada, o que obrigou Carlos Sainz a tomar a dianteira e ultrapassar Sergio Pérez.

Enquanto o espanhol foi de sexto para quinto, o piloto da RBR caiu de quinto para o sétimo lugar e ainda teve um contato com Lewis Hamilton, oitavo no grid inicial. No fundo do grid, a curva 1 foi palco do primeiro incidente da prova: um contato entre Bottas e Alexander Albon, que ainda atingiu Esteban Ocon e Guanyu Zhou. O safety car foi acionado.

Melhores momentos

Contabilizando os danos

Pérez trocou o bico do carro e os pneus médios pelos duros na terceira volta, e foi punido com 5s por ultrapassar sob o safety car. Zhou, Ocon e Bottas também passaram por reparos; o pit stop do finlandês, inclusive, foi lento por uma confusão entre os mecânicos nos boxes. E na retomada, na quinta volta, ele foi atingido por Logan Sargeant e rodou na área de escape.

Sargeant recebeu 5s pelo contato com Bottas, que abandonou. E ele não foi o único: Pérez danificou novamente sua asa dianteira ao bater em Kevin Magnussen na volta 13, quando disputava o 12º lugar. Pelo lance, levou mais 5s.

De volta aos boxes sob safety car virtual, Checo ainda pisou na linha de entrada do pit lane, lance que passou batido pelos comissários. Ele deixou a corrida na 16ª volta, retornou na 40ª para cumprir punição e retirou-se de novo após três giros.

Tranquilo, tranquilo

Sem ameaças ao longo da prova inteira, bastou ao bicampeão administrar sua vantagem. que aumentou durante a bandeira amarela no incidente entre Pérez e Magnussen. O holandês fez seu primeiro pit stop na 17ª volta, trocando os pneus médios por um conjunto novo, e em três giros, recuperou a liderança da prova.

Na metade final da disputa ele já tinha quase 30 de vantagem na ponta, o que o possibilitou parar uma segunda vez, no 38º giro, para aderir aos pneus duros.

Briga caseira

Hamilton largou da oitava colocação e superou Russell na sexta volta, assumindo o sétimo lugar.; depois, pressionou Fernando Alonso pelo P6 - que obteve com o pit stop do rival na volta 12. Quatro giros depois, o heptacampeão passou pela grama, o que possibilitou a aproximação de Russell. O veterano chegou a espalhar o carro contra o colega que, pelo rádio, queixou-se do excesso.

Esse não foi o único conflito entre colegas na prova. Depois dos pit stops dos primeiros colocados iniciado por Piastri na 13ª volta; seguido por Verstappen na 17ª e Norris e Leclerc na seguinte, a dupla da McLaren voltou para a pista atrás de Russell, vice-líder provisório.

A equipe orientou seus pilotos da possível estratégia do rival da Mercedes, e Norris, preocupado, pediu uma inversão de posições com Piastri, o que demorou a ser efetivado devido à defensiva do calouro. Russell visitou o pit lane na 25ª volta para trocar os pneus médios pelos duros. Piastri enfim cedeu e, na 27ª volta, abriu caminho para o companheiro retornar à vice-liderança.

Quem fica com o pódio?

A segunda rodada de pit stops começou para os primeiros colocados começou com Hamilton adotando novos pneus duros na 35ª volta. Depois dele, Leclerc e Piastri pararam e, no 37º giro da corrida, foi a vez de Norris, alçando Russell novamente ao terceiro lugar.

A nova visita de Verstappen aos boxes na volta 38 não ameaçou sua liderança, mas as coisas esquentaram logo atrás dele: Norris, então quarto colocado, conseguiu superar o compatriota da Mercedes, que entrou na mira de Piastri enquanto Sainz parava de novo. O australiano ultrapassou Russell na 42ª volta, retornando ao pódio; e o britânico ainda viu Leclerc superá-lo no giro seguinte.

Nas voltas finais, Russell passou a sofrer com a pressão de Hamilton pelo quinto lugar e acabou cedendo a posição para o colega, que temia a aproximação de Sainz. Posteriormente, o espanhol da Ferrari ainda passou o piloto da Mercedes e ameaçou o heptacampeão, que no fim, manteve-se em quinto.

Mais desfalques

A corrida ainda teve Lance Stroll deixando a corrida na 23ª volta, com problemas na asa traseira de sua Aston Martin. Depois, Logan Sargeant e Alexander Albon também tiveram os carros retirados, por motivos ainda não esclarecidos. Ao todo, cinco pilotos não chegaram até o fim da prova.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p