Yuri destaca evolução do CSA contra o Vila Nova e diz: 'A gente vai conseguir dar a volta por cima'

Azulão não vence há 3 jogos e está a seis pontos da zona de rebaixamento. Jogador atuou improvisado na lateral direita até metade do 2º tempo na derrota para o Guarani, na terça (7)

Na última quarta-feira (9), o volante Yuri, do CSA passou uma mensagem de otimismo e esperança, à imprensa e ao torcedor, de que o CSA vai se recuperar na Série B. Décimo primeiro colocado, com 29 pontos, a equipe não vence há quatro jogos. Com a derrota para o Guarani, na terça-feira (7), somou dez baixas e 21 gols sofridos.

Perguntado sobre a troca de técnico no clube e a não evolução momentânea da equipe, o jogador destacou o desempenho apresentado no empate, por 1 a 1, contra o Vila Nova, no Rei Pelé, como indício de que o time marujo vai conseguir melhorar na competição e conquistar as vitórias.

"A questão de evolução, eu acho que a gente evoluiu sim. Acho que ficou visível no jogo do (contra o) Vila Nova. Infelizmente a gente acabou tomando um gol no final e (a derrota para o Guarani) acaba apagando tudo de bom que a gente fez.

Quem assistiu ao jogo (recente) viu que a gente teve o controle, tanto com posse de bola. Em todo o sentido do jogo, a gente mandou, mas o resultado não veio ainda. Então, isso acaba ofuscando, mas eu tenho certeza que a gente vai conseguir dar a volta por cima. Já estamos com o sinal de alerta ligado e precisamos vencer o quanto antes", destacou o volante.

Yuri tem passagens por Bahia, Tochigi-JAP, Oeste e Ferroviária. Em junho deste ano, retornou ao CSA depois de ter se destacado em 2018. À época, o jogador, de 27 anos, foi um dos melhores do time na campanha do acesso para a Série A.

No Azulão, participou de 15 dos dos 22 jogos realizados na Segundona, atuando no meio de campo. Na última partida, o técnico Mozart Santos preferiu improvisá-lo na lateral direita e deixou Éverton Silva, titular da posição, no banco de reservas, após este retornar de suspensão.

Porém, fez a troca aos 27 minutos da etapa complementar. Sobre a substituição, o volante negou que estivesse cansado ou tivesse sentido. "Não, não foi cansaço. Acho que foi opção do Mozart mesmo. A gente precisava empatar jogo, né? E ele optou por botar o Éverton. O Éverton é um lateral de ofício, e a gente precisava de força ofensiva, e eu, como sou um jogador mais defensivo, ele optou por isso", finalizou.

No duelo com o Londrina, no próximo dia 18, Yuri deve retornar à posição de origem, ajudando na marcação e no setor de criação também.