Santana do Ipanema: após enchente, volante alagoano aluga casas para a família

Gustavo Henrique, do River-PI, também está arrecadando doações para os moradores que perderam tudo com a tragédia

A enchente que deixou a cidade de Santana do Ipanema devastada após o aumento do nível do Rio Ipanema, deixou inúmeras famílias desabrigadas. Os imóveis foram atingidos e ficaram totalmente alagados. Familiares do jogador Gustavo Henrique, do River-PI, estão entre os moradores atingidos. 
Nesta terça-feira (7), o volante alagoano falou sobre a situação. Em entrevista, ele contou que, ao saber da tragédia, deixou Teresina, onde está morando, e seguiu para o interior alagoano para encontrar os parentes.
Na casa da mãe, o jogador disse que os familiares conseguiram recuperar muitos móveis e que, apenas dois guarda-roupas foram perdidos. Já na residência da tia, Gustavo conta que a situação foi diferente, com a maioria dos utensílios destruídos, restando apenas uma geladeira, mas sem a garantia de que ainda funcione. 

Após a tragédia, jogador alugou duas casas para os familiares  - Foto: FOTO: Victor Costa/River AC

Gustavo disse ainda que conseguiu alugar duas casas para os familiares em outra região de Santana do Ipanema. "Estamos bem na medida do possível. Alugamos uma casa em uma parte mais alta e estamos 'seguros' aqui", comentou o atleta. 
O volante destacou que, após todos os cuidados com a família, era a hora de auxiliar as outras pessoas da cidade. Gustavo Henrique está realizando uma campanha para distribuir doações aos moradores da cidade. Após a entrevista, o volante fez a entrega de alguns pares de sapatos e lembrou que uma igreja do município está sendo utilizada como ponto de apoio para as famílias, recebendo doações de alimentos, roupas e calçados. 
O jogador falou ainda que algumas pessoas optam por retornar aos imóveis mesmo em situação de risco. Essa foi a maior enchente registrada no município, chegando a 10,40 metros e superando a ocorrida há 16 anos atrás, quando o nível do Rio Ipanema chegou a 7 metros, segundo a Superintendência Regional da CPRM em Recife.