Novo técnico do CSA, Roberto Fonseca treinou clubes 5 vezes na Série C

Novo comandante azulino rodou por alguns clubes, mas nunca conquistou o acesso

O técnico Roberto Fonseca está mais do que confirmado como novo técnico do CSA. O treinador chega na noite desta terça-feira (6) em Maceió, mas o nome do treinador deixou uma pulga atrás da orelha de alguns torcedores, principalmente aqueles que não conhecem o novo comandante azulino. Contudo, um dos motivos para a contratação de Roberto foi a sua experiência disputando a Série C do Brasileiro.

E o técnico esteve na disputa da competição em cinco oportunidades: 2015, 2016, 2017, 2021 e 2022. Porém, nunca conseguiu um acesso na divisão.

Sua primeira experiência foi em 2015, com o Botafogo da Paraíba. Na Série C daquele ano, Roberto fez apenas sete partidas. Foram duas vitórias, duas derrotas e três empates. No futebol paraibano, o técnico durou apenas dois meses e deixou o Belo. No fim, o Botafogo fechou aquele campeonato em sexto lugar, sem brigar pelo acesso, tampouco sem brigar contra a queda.

No ano seguinte, em 2016, Roberto foi contratado por mais um clube da Série C, dessa vez o Cuiabá, e conseguiu grandes números pelo Dourado. Em uma incrível campanha de recuperação, a passagem dele resultou em quatro vitórias, três empates e apenas uma derrota para o Cuiabá, que se livrou do rebaixamento para a Série D por dois pontinhos. Ele tirou o time da lanterna, inclusive.

Roberto Fonseca ajudou a livrar o Cuiabá do rebaixamento na Série C - Foto: Pedro Lima/Cuiabá EC

Em 2017, uma nova chance para buscar o acesso, pelo mesmo Cuiabá. Porém, o treinador foi demitido do Dourado na 5ª rodada daquela Série C, com o Cuiabá na lanterna do seu grupo. Quatro rodadas depois, o Bragantino o contratou, mas depois de sete rodadas, ele saiu do clube paulista, que estava à beira do Z2. Somando a passagem pelos dois clubes, foram 12 jogos, oito empates, três derrotas e uma mísera vitória.

Daí, Roberto ficou um tempão rodando entre clubes das Séries D e B do Brasileiro, mas sem passar pela Terceira Divisão. Isso aconteceu novamente apenas em 2021, quando foi contratado pelo Paysandu.

No Papão, ele chegou durante o andamento do campeonato. Fonseca pegou o Paysandu na quinta posição do Grupo A e rapidamente a equipe deu resposta. Tanta que terminou a 1ª fase na liderança do grupo. Porém, na segunda fase, onde as equipes lutam pelo acesso, o time caiu de qualidade e Roberto Fonseca foi demitido, antes do fim do campeonato. Foram 12 partidas, com cinco triunfos, quatro empates e três derrotas.

Foi pelo Paysandu onde Roberto quase subiu para a Série B - Foto: Ascom/Paysandu

Nesta temporada, foi a vez de Roberto treinar o Ferroviário. Também foi a primeira vez que o professor comandou dentro da nova fórmula da Série C. Porém, a passagem dele pelo time cearense só durou as primeiras nove rodadas, onde teve quatro vitórias, cinco derrotas e nenhum empate, deixando a equipe na 11ª posição, fora do G8.

Porém, o futuro mostrou que essa, supostamente, não foi a melhor decisão do Tricolor. Após a saída de Roberto, o Ferroviário definhou-se dentro da competição e acabou a Série C em 19º, com 16 pontos, sendo rebaixado para a Série D.