Na volta da torcida ao Rei Pelé, CSA vence o Botafogo-RJ por 2 a 0, pela Série B

Gols do Azulão foram marcados por Marco Túlio e por Iury Castilho, ambos no 2º tempo; agora time azulino é o 8º colocado, com 35 pontos

Com a volta dos torcedores ao estádio – 30% da capacidade de público –, depois de 18 meses de espera, devido a pandemia da Covid-19, e, com a autorização da Justiça, o CSA não tomou conhecimento do Botafogo e venceu por 2 a 0, fazendo a festa da sua fanática torcida nesta volta ao Estádio Rei Pelé. O duelo aconteceu nessa quinta-feira (23), pela 25ª rodada da Série B do Brasileiro.

Essa foi a segunda vitória seguida do Azulão. Antes tinha vencido o Londrina, por 2 a 0. Os gols azulinos dessa noite foram assinalados por Marco Túlio e por Iury Castilho, ambos no segundo tempo.

E com este resultado, o time alagoano dá um salto na tabela. Agora é o 8º colocado, com 35 pontos. E os cariocas estão em 3º lugar, com 44 pontos. Clique aqui para ver o Tempo Real

Na rodada seguinte, a 26ª, que será aberta já nesta sexta-feira (24), o Azulão tem outra parada dura: vai visitar o Cruzeiro, mas no domingo (26), no Independência, às 16 horas; e o Fogão entra em campo, também no domingo (26), no Nilton Santos (Engenhão), onde vai receber o Sampaio Corrêa, às 18h15.

Etapa inicial

No primeiro tempo o jogo ficou no zero a zero - Foto: Ailton Cruz

O 1º tempo começou com o CSA tendo a primeira chance, aos 3 minutos. Dellatorre dominou de costas para o gol, ajeitou o corpo e bateu de direita com perigo, vendo a bola passar perto do gol e fazendo a torcida se agitar na arquibancada. A partida estava muito igual, mas com o Azulão demorando para definir uma boa jogada, enquanto o Bota se fechava todo. Aos 8 minutos, Dellatore tentou de novo: ele recebeu a bola na área, mas acabou chutando para fora.

Outra boa chance azulina se deu aos 11 minutos. Castilho dominou no peito, na ponta canhota, chutou com perigo, mas Diego Loureiro deu um soco e mandou para escanteio. Chegando aos 15 minutos, o jogo passou a ter chutões dos dois lados. Os times ficavam naquele famoso bate-rebate sem muita objetividade. O CSA ia ao ataque mas não conseguia criar perigo. Aos 22 minutos, o Azulão assustou, com um chutaço de Iury Castilho, no ângulo direito do goleiro e a bola indo por cima do gol.

Até os 30 minutos da partida, o futebol do CSA deixava a desejar, assim como o do Botafogo, logicamente deixando a torcida pouco satisfeita no Rei Pelé. O Azulão ainda teve algumas chances, enquanto o Glorioso não conseguiu levar perigo. Aos 31’, o time azulino desperdiçou a cobrança de uma boa falta. Tentou a jogada ensaiada, mas sem sucesso. Iury Castilho cabeceou, mas mandou muito fraco, fácil para a defesa do goleiro.

Aos 38 minutos, após bela trama entre Dellatorre e Iury, o CSA assustou. Iury mandou a bomba, a bola foi com perigo, mas por cima do gol. O Bota respondeu aos 42 minutos e assustou. Diego Gonçalves cabeceou com perigo e a bola ia no cantinho, mas Thiago Rodrigues fez uma grande defesa. A primeira etapa chegou aos 45 minutos e o árbitro determinou dois de acréscimos. E, pontualmente, aos 47 minutos, o árbitro encerrou a etapa, sem ninguém à frente no marcador: zero a zero.

Etapa final

Momento de agradecimento a Deus por Marco Túlio pelo gol que fez - Foto: Ailton Cruz

No segundo tempo, quem começou assustando foi o Botafogo. Aos 30 segundos, Chay chutou com perigo, após descida do Glorioso e cruzamento de Warley, mas Thiago Rodrigues fez uma grande defesa e evitou o gol adversário. O Fogão pressionava e aos 5 minutos, obrigou Gabriel a dar um bicão para longe. O fato era que os zagueiros alvinegros tinham todo o campo de defesa livre, enquanto o CSA estava recuado.

O time azulino estava mal em campo, mas, ainda assim, conseguiu abrir o placar. Após uma saída errada do adversário, uma bobeira, Marco Túlio bateu de longe, encobrindo o goleiro, fazendo 1 a 0 para o CSA, aos 9 minutos, para alegria da torcida azulina.

O Alvinegro respondeu aos 12 minutos, quando Chay tocou para Warley na direita e ele bateu cruzado, mas a pelota parou na defesa de Thiago Rodrigues. O duelo chegava aos 20 minutos e o Botafogo trocava passes, mas não conseguia avançar.

Depois que fez o gol, o CSA se animou. E, aos 23 minutos, fez o segundo. Geovane recebeu o lançamento no lado direito da área e tocou para o meio. Foi quando Iury apareceu livre e mandou de primeira para ampliar para 2 a 0, no Rei Pelé, fazendo a festa da torcida azulina na volta ao estádio.

Os times passaram a fazer suas respectivas substituições no jogo, que passava dos 30 e o Botafogo havia sentido o segundo gol, ficando todo recuado, enquanto o Azulão trocava passes no ataque. Aos 34 minutos, quase o time azulino fez o terceiro. Dellatorre recebeu o lançamento na área e se esticou para empurrar a bola para o gol, mas o goleiro defendeu.

Aos 37 minutos, Bruno Mota - que entrou nessa etapa, perdeu um gol incrível. O jogador roubou a bola de Kanu, finalizou com perigo, mas só assustando o goleiro Diego Loureiro. Detalhe: outro jogador do CSA que entrou no segundo tempo foi o meia Didira, em sua volta ao Azulão neste ano.

Aos 45 minutos, o árbitro decretou 6 minutos de acréscimos. O CSA conseguiu segurar bem o resultado, a boa vitória; enquanto o Fogão não conseguiu superar os azulinos: 2 a 0 para o Azulão, no Rei Pelé, no retorno da torcida ao estádio.

Jogadores azulinos comemoram o segundo gol do CSA, feito por Iury Castilho - Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica:

CSA - Thiago Rodrigues; Cristovam (Éverton Silva), Lucão, Matheus Felipe e Ernandes; Yuri (Giva Santos), Geovane e Gabriel; Marco Túlio (Didira), Iury Castilho (Reinaldo) e Dellatorre (Bruno Mota). Técnico: Mozart Santos.

Botafogo - Diego Loureiro; Daniel Borges (, Kanu, Gilvan e Carlinhos (Jonathan Silva); Barreto (Ricardinho), Luiz Oyama e Chay (Cesinha); Warley (Luiz Henrique), Diego Gonçalves e Navarro (Rafael Moura). Técnico: Enderson Moreira.

Árbitro - Heber Roberto Lopes (CBF-SC).

Auxiliares - Alex dos Santos (CBF-SC) e Éder Alexandre (CBF-SC).

Quarto árbitro - Marcio dos Santos (CBF-AL).

Árbitro de vídeo - Oliveira Leone Carvalho Rocha (CBF-GO).