Imagem do jogo! Massagista Assis deixa o campo chorando após expulsão

Funcionário do clube há 30 anos, Francisco de Assis Rodrigues teve reação emocionante ao se retirar para o vestiário do Rei Pelé 'antes do tempo'

No ano em que completa 30 anos servindo ao CRB, o massagista Francisco de Assis Rodrigues Miranda - o Assis -, de 59 anos, escreveu nesta quinta-feira (5) um amargo capítulo em sua biografia no Galo. Ele foi expulso quando ainda o time regatiano estava com a vantagem do placar sobre o Paraná e deixou o campo de jogo em lágrimas. O repórter fotográfico da Gazeta de Alagoas, Ailton Cruz, flagrou o momento.
A partida estava 1x0 a favor do CRB, gol do meia Felipe Ferreira, quando aos 11 minutos da etapa final o volante Claudinei abriu o supercílio e precisou ser atendido fora do campo. Depois da intervenção médica, o atleta colocou uma touca de natação vermelha e retornou ao gramado, mas o sangramento não foi totalmente estancado. 
Aos 18', o árbitro William Machado Steffen (CBF-SC) se dirigiu até o jogador, viu que havia sangue e pediu para que Claudinei se retirasse. Exaltado, Assis reclamou acintosamente contra a decisão da arbitragem e o 'juiz' tirou o cartão vermelho do bolso e o mandou para o chuveiro mais cedo. Bastante emocionado, o massagista foi embora em lágrimas. 

Massagista Assis tem 30 anos de serviços prestados ao CRB - Foto: FOTO: Ailton Cruz

A
Gazetaweb
não conseguiu contato com Assis, porém, as palavras dele proferidas no dia 25 de gosto, quando completou o trigésimo ano como funcionário regatiano, devem refletir bem o porque da reação emocionante.
"É um sentimento muito forte, que faz parte da minha vida de uma forma tão intensa que não consigo explicar com palavras. Não sei o que seria da minha vida sem o CRB. E o amor que tenho por este clube transcende tudo que você imaginar", disse.
Assis não viu a virada do Paraná sobre o Galo nesta noite de quinta-feira dolorida para o regatiano. A quinta seguida dentro do Estádio Rei Pelé. Talvez o destino o tenha poupado.