Foi por pouco! CSA atropela o Brasil de Pelotas no Rei Pelé, mas vitória do Avaí frustra acesso: 4 a 0

Matheus Felipe, Marco Túlio e Dellatorre e Iury Castilho marcaram os tentos do Azulão, que dominou toda a partida, mas acabou o torneio em 5º lugar, com 62 pontos

Infelizmente não deu, torcedor. O CSA foi do céu ao inferno na tarde deste domingo (28). A equipe ficou perto de disputar a Série A do Campeonato Brasileiro em 2022, mas acabou não conseguindo. No Estádio Rei Pelé, em Maceió, o Azulão bateu o já rebaixado Brasil de Pelotas, por 4 a 0. Matheus Felipe, Marco Túlio e Dellatorre fizeram no primeiro tempo, e Yuri Castilho decretou a goleada na etapa complementar

A classificação para a elite do nacional era quase certa até a casa dos 40 min do segundo tempo. Contudo, na Ressacada, o Avaí virou o placar em cima do Sampaio Corrêa, foi aos 64 pontos, e conquistou a última vaga. O CRB perdeu para o Operário-PR, no Paraná, por 2 a 0, e ficou na 7ª posição. Com o resultado, o time marujo encerrou a Segundona 5ª posição, com 62 tentos. Por sua vez, o Xavante encerrou a competição com Brasil de Pelotas na última posição, com 23 pontos. Confira como foi o duelo no Tempo Real da Gazetaweb!

PRIMEIRO TEMPO

O CSA simplesmente sobrou na etapa inicial, especialmente a partir da metade do primeiro tempo. Assim, perdeu várias chances de abrir o marcador. Começou logo pressionando o Brasil de Pelotas. Aos três minutos de jogo, a equipe teve duas chances claras de marcar. Em contra-ataque, Marco Túlio disparou, entrou na área e finalizou em cima do goleiro Marcelo. Na sequência, Dellatorre recebeu de Marco Túlio no bico da grande área, mas chegou batendo por cima do gol do Brasil.

Aos 13 minutos, Yuri Castilho perdeu um gol inacreditável no Rei Pelé. Everton Silva fez o cruzamento para o atacante que, muito confiante, acabou jogando para fora com o gol escancarado. Faltou tranquilidade. De tanto pressionar, saiu o gol. Na cobrança de escanteio de Gabriel, Dellatorre desviou de cabeça e Matheus pegou o rebote para abrir o placar no seu jogo de despedida do Azulão.

Brilhou a estrela do zagueiro Matheus Felipe no primeiro gol. No jogo de despedida, o defensor marcou o 1º tento pelo Azulão - Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

Quase o segundo gol do CSA aos 25 minutos. Marcelo fez uma defesa de pagar ingresso. Yuri cruzou quase sem ângulo, Dellatorre testou forte, o goleirão tirou com pé no puro reflexo. Aos 27, equipe perdeu mais uma boa chance, pelo lado direito. Marco Túlio chutou forte, tirando tinta da trave direita e foi para fora. No lance, o VAR viu pênalti em cima do atacante. Dellatorre, porém, acertou a trave e deixou o torcedor apreensivo.

Estratégia mais defensiva do Xavante se manteve em quase toda a partida. A equipe mal chegou no campo de ataque, ficou apenas rodando a bola, sem objetividade alguma, tanto é que conseguiu o primeiro escanteio perto da casa do 40 minutos. Antas, na marca dos 34', Yuri roubou no meio de campo e tocou para Marco Túlio.

O atacante avançou em direção à meta, bateu rasteiro e Marcelo aceitou um frangaço: 2 a 0. Antes do apito final, o Azulão balançou a rede novamente. Dellatorre recebeu de costas para o gol, protegeu a bola e mandou no canto esquerdo de Marcelo, de canhota: 3 a 0. Placar justo na etapa inicial.

Marco Túlio anotou o segundo tento do Azulão, contando com frangaço de Marcelo - Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

SEGUNDO TEMPO

O Brasil começou a etapa final tetando pressionar. O treinador Jerson Testoni fez três alterações no Xavante e a equipe começou mais ofensiva, conseguindo ter mais posse de bola e amenizar o ímpeto da marcação do CSA, explorando bem os dois laterais.

Aos 5', Netto tabelou com Erison, recebeu no bico do gol, chegou finalizando, mas o arremate saiu fraco, o que facilitou a vida de Thiago Rodrigues. O Azulão diminui o ritmo e tocou a bola com calma. Como consequência da falta de agressividade, foi pressionado novamente com Netto, aos 14'.

O atacante arriscou de longe, por cima da meta azulina. Na sequência, em mais um ataque do Xavante, o árbitro marcou mão na bola de Lucão e apitou para a marca penal. Lance puramente interpretativo. Porém, após a revisão no VAR, anulou a marcação.

Xavante mal conseguiu assustar o goleiro Thiago Rodrigues em todo o jogo - Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

Coincidência ou não, no lance seguinte Ernandes cruzou, Matheus Felipe cabeceou para o gol e a bola desviou no braço de Heverton. Pênalti assinado em lance de pura interpretação do árbitro. Yuri escolheu o canto e marcou o 4º tento, levando o torcedor à loucura com a goleada.

Aos 29', o CSA assustou: Gabriel disparou pela ponta esquerda, tabelou com Cajá e finalizou de fora da área. A bola passou por cima do gol, sem perigo para Marcelo. A partir de então, a previsibilidade tomou conta da partida. Em outras palavras, o Azulão passou a administrar o resultado.

Iru Castilho comemora o 4º gol do CSA. Atacante terminou a Série B com 10 tentos - Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

Reinaldo sofreu falta no meio de Héverton. Renato Cajá cobrou e a pelota passou por cima da meta de Marcelo, aos 40 minutos. O que frustou o torcedor azulino mesmo foi a partida entre Avaí e Sampaio Corrêa. Lá, na Ressacada, o jogo foi até os 55 minutos e o Time da Raça conquistou o acesso.

Ficha técnica

CSA - Thiago Rodrigues; Éverton Silva (Silas), Matheus Felipe, Lucão e Ernandes; Geovane (Giva Santos) e Yuri e Gabriel; Marco Túlio (Reinaldo), Iury Castilho e Dellatorre (Bruno Mota). Técnico: Mozart Santos.

Brasil de Pelotas - Marcelo; Oliveira, Leandro Camilo, Ícaro e Paulinho; Diego Gomes, Bruno Mathias e Patrick; Gabriel Poveda, Netto e Erisson. Técnico: Jerson Testoni

Cartões amarelos - Diego Gomes (Brasil); Leandro Camilo (Brasil); Jerson Testoni (Brasil); Erison (Erison)

Árbitro - Andre Luiz de Freitas Castro (CBF-GO)

Assistentes - Cristhian Passos Sorence (CBF-GO) e Hugo Savio Xavier Correa (CBF-GO)

VAR - Elmo Alves Resende Cunha (CBF-GO)

Assistente do VAR - Rodrigo Pereira Joia (CBF-CE)