CSA vence o CRB no 1º duelo da semifinal e joga pelo empate na quarta (6), para ir à final do Alagoano: 1 a 0

Gol único do Azulão foi assinalado por Cedric, no segundo tempo da partida disputada no Rei Pelé

CRB e CSA se enfrentaram na fase do mata-mata do Alagoano 2022, em um bom duelo, movimentado, pegado, neste sábado (2), pela ida das semifinais da competição estadual. Mas quem saiu vencedor foi o Azulão, que bateu o arquirrival pelo placar mínimo de 1 a 0 e, agora, tem a vantagem do empate no jogo de volta.  

O gol azulino foi assinalado por Cedric, no segundo tempo. Com esta vitoria, o time azulino soma o quarto clássico do ano sem perder para o CRB. Clique aqui para ver o Tempo Real

Como venceu este primeiro duelo do mata-mata, o CSA jogará por um empate, no próximo dia 6 (quarta-feira), enquanto o time regatiano precisa, obrigatoriamente, da vitória. Se for por dois ou mais gols de diferença, quem estará classificado é o Galo.

Se houver empate na soma dos dois resultados do mata-mata, o classificado para a grande final será conhecido após as cobranças de pênaltis.

O Clássico das Multidões foi disputado no Estádio Rei Pelé, em Maceió, que contou com a presença das torcidas dos dois clubes, sendo mais a do Galo, mandante deste jogo. Outro detalhe foi que a partida, além do VAR, teve arbitragem do quadro da Fifa, com Anderson Daronco no comando do apito.

Lance da primeira etapa do capita azulino Gabriel

1º Tempo

Quem começou tendo a iniciativa do jogo foi o CSA, que fez a sua primeira finalização, assustando o Galo, quando Felipe Augusto bateu cruzado, mas fraco, e viu Diogo Silva fazer a defesa, com menos de um minuto de bola rolando. Aos 3', em cobrança de escanteio para o CSA, Igor cobrou na primeira trave, mas a defesa regatiana afastou.

O clássico era bom de se ver, era ofensivo no início, mas com o CSA pressionando. Aos 6 minutos, o time azulino teve uma chance excelente. Romão desviou a bola sem olhar, de cabeça, para o goleiro, e Marco Túlio chegou, mandando com perigo, vendo a pelota ir muito perto do gol e a chance ser desperdiçada. O Galo respondeu aos 12min, quando Raul Prata deu um chutaço, de longa distância, mas o goleiro Carné espalmou.

O duelo se aproximava dos 15 minutos e ficava mais equilibrado, com o CRB também chegando. Aos 16min, após cobrança de falta perigosa e venenosa de Raul Prata, o goleiro azulino estava ligado e fez a boa defesa daquele que poderia ter sido o primeiro gol do jogo. O CSA respondeu aos 22min, quando Marco Túlio fez o cruzamento para a área e Igor dominou, bateu forte, mas Claudinei apareceu e travou, tirando o perigo.

Aos 24min, quase o CRB abriu o placar. Após bobeira incrível de Marcelo Carné, que adiantou a bola com os pés, Guilherme Romão quase conseguiu roubar, mas o goleiro azulino se redimiu da besteira que fez e conseguiu recuperar a bola e evitar o gol de vacilo. Aos 27min, foi a vez de o Azulão perder um gol. Felipe Augusto chegou, batendo colocado para o gol, mas a bola desviou em Rodrigo Rodrigues e saiu pela linha de fundo.

O jogo era lá e cá. E, aos 30 minutos, após cruzamento de Romão, pela esquerda, já na linha de fundo, ele encontrou Anselmo Ramon, que sentou um voleio de média altura, mas Werley fez o corte. No entanto, a assistente Leila Naiara marcou o impedimento. O clássico era muito bom no primeiro tempo, como há muito não se via. Até esse momento, quando já passava dos 35 minutos, as duas equipes tinham 50% de posse de bola cada uma.

Aos 38 minutos, o CRB fez uma boa jogada, na tentativa do gol. Guilherme Romão levantou a bola na segunda trave, tentou encontrar Anselmo Ramon, mas Marcelo Carné saiu do gol e ficou com a redonda, e antes que o atacante regatiano conseguisse cabecear.

A partida passava dos 40 minutos e ficou mais tranquila, com os times parece que diminuindo o ritmo. Aos 45 minutos, Anderson Daronco decretou apenas um minuto de acréscimo e o primeiro tempo foi encerrado aos 46', com ninguém à frente no placar.

Momento do gol de Cedric!

2º Tempo

A partida recomeçou com mais estratégia do que necessariamente com força física. O ritmo diminuiu, as duas equipes marcavam mais, tanto que o CSA tinha mais dificuldades de sair jogando. Quando conseguiu chegar ao campo de ataque, Geovane soltou uma pancada na frente da área regatiana, aos 7 minutos, mas a bola explodiu em Yago.

As equipes passaram a mudar seus jogadores iniciais, isso chegando aos 15 minutos de bola rolando, quando o Galo chegou assustando, com Vico. Veio o cruzamento de Anselmo Ramon e ele subiu, cabeceando com perigo, mas a bola foi à esquerda do gol de Carné.

Em outro momento, aos 18min, o Galo arriscou com Longuine, que recebeu de Vico e chutou, mas a bola foi à esquerda, pela linha de fundo. Chegando aos 20 minutos, o que se via era que o CRB tocava melhor e aproveitava mais as subidas, finaliza melhor, mas não apresentava tanto perigo. Já o CSA estava meio apagado, pois as alterações de Mozart não tinham surtido efeito.

Aos 26 minutos, o CRB perdeu uma chance incrível. Negueba cruzou com perigo, a bola passou pelo goleiro Carné e Marcinho tocou pro gol vazio, mas Marcel tirou em cima da linha, evitando o gol regatiano. Mas quem fez o gol mesmo foi o CSA, abrindo o placar no Rei Pelé. Aos 30 minutos, Bruno Mota mandou a bola para Osvaldo, que cruzou na área do CRB e Cedric só fez tocar para o fundo da rede: 1 a 0 no Rei Pelé.

O Galo quase empatou aos 33min. Anselmo Ramon recebeu na linha de fundo, cruzou e Longuine desviou com a ponta da chuteira, vendo a pelota passar pertinho do gol de Carné. depois que sofreu o gol, o CRB sentiu.

A partida chegava aos 40 minutos e o Galo seguia nervoso em campo. Mesmo assim, tentou e quase fez o gol do empate, aos 42 minutos, mas, na hora da finalização de Yago, na grande área, a zaga azulina tirou, mandando para escanteio. O CSA assustou aos 43'. Lucas Barcelos desceu pela direita, passou a pelota para Osvaldo, que bateu forte, mas Diogo Silva espalmou para escanteio, salvando o Galo de levar o segundo gol.  

O árbitro ainda determinou cinco minutos de acréscimos e, aos 50', Anderson Daronco encerrou a partida, com a vitória azulina sacramentada no Rei Pelé: 1 a 0.

CRB e CSA fizeram um bom jogo pela semifinal - Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas

Ficha Técnica

CRB - Diogo Silva; Raul Prata (Reginaldo), Gum, Gilvan e Guilherme Romão; Claudinei (Marthã), Yago e Maicon (Longuine); Richard (Emerson Negueba), Vico (Marcinho) e Anselmo Ramon. Técnico: Marcelo Cabo.

CSA - Marcelo Carné; Igor Inocêncio, Werley (Marcel), Wellington e Ernandes; Geovane, Gabriel (Cedric) e Yann Rolim (Bruno Mota); Marco Túlio (Osvaldo), Felipe Augusto (Lucas Barcelos) e Rodrigo Rodrigues. Técnico: Mozart Santos.

Árbitro - Anderson Daronco (FIFA-RS).

Assistentes - Bruno Raphael Pires (FIFA-GO) e Leila Naiara Moreira da Cruz (FIFA-DF).

Quarto árbitro - Sávio Pereira Sampaio (FIFA-DF).

VAR - Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (FIFA-RN).

Assistente do VAR - Flávio Gomes Barroca (CBF-RN).