CSA promove campanha contra o tráfico internacional de pessoas

Azulão e Polícia Federal buscam incentivar a denúncia contra este tipo de crime; ação foca no combate ao tráfico de mulheres

O CSA está cada vez mais se consolidando nas ações sociais. Junto com a Polícia Federal, o Azulão lançou uma campanha contra o tráfico internacional de pessoas, principalmente mulheres: o “Ela Fala!”. O clube marujo e a instituição se unem para facilitar a denúncia de casos.

Na parceria, o clube, através do seu departamento de marketing, busca utilizar a sua influência e projeção nacional para engajar o combate a este crime. No mundo, 2,4 milhões de pessoas foram vítimas deste tipo deste tipo tráfico. Destas, cerca de 80% são mulheres.

Assim, o Azulão se propôs a contribuir colocando as suas redes sociais à disposição, incentivando a conscientização através de postagens e vídeos com essa finalidade. O clube do Mutange já utiliza a sua visibilidade dentro da cancha para expandir a campanha, com os jogadores estendendo cartazes na entrada em campo.

Na partida contra o Remo, jogadores marujos entraram em campo com o cartaz da campanha - Foto: Augusto Oliveira/CSA

A campanha também se estende por todo o estado. Cartazes com um QR Code que leva direto para o canal de atendimento da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos estão sendo adesivados em estabelecimentos comerciais, bares, restaurantes, supermercados e farmácias, principalmente, nos seus banheiros femininos. Com isso, a população ganha mais um meio para a denúncia.

O vice-presidente do CSA, Omar Coelho, enfatizou a importância de utilizar a imagem do clube como instrumento ao combate ao crime. O cartola também explica que, sobretudo, o “Ela Fala!” é uma forma do clube se posicionar a favor dos direitos básicos dos cidadãos.

“A campanha nos coloca em um patamar diferenciado, alertando para a necessidade de denunciar este crime e reflete a preocupação do CSA com algo muito maior do que simplesmente angariar torcedores ou promover o seu nome, mas, também, o de ter uma posição voltada à preservação da vida e da cidadania”, declarou Coelho.

Já o gerente de negócios do Azulão, Ricardo Lima, salientou o empenho do clube no projeto e a atenção que a denúncia do tráfico de pessoas deve ter na sociedade. Lima também comenta sobre a importância do papel do clube marujo no combate ao crime.

“É muito sério (o combate ao tráfico internacional de pessoas) e merece todas as atenções necessárias. Pensamos em todos os detalhes para criar essa nova opção de denúncia. Uma honra fazer parte da campanha, mas ao mesmo tempo é com uma grande responsabilidade que encaramos isso”, disse.

A população pode realizar denúncias, também, através dos números do Disque 100 e Ligue 180. Elas também podem ser feitas via WhatsApp, através do número (61) 99656-5008. Estes são os canais de atendimento da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos.