CSA desencanta na Série B, mas fica apenas no empate com o Guarani: 1 a 1

Silvinho marcou o primeiro gol do Azulão na competição nacional, mas equipe segue sem vencer na Segundona; marujos foram recebidos com protestos antes da partida

O jejum de vitórias do CSA continua na Série B. Por outro lado, a equipe maruja conseguiu anotar, finalmente, o seu primeiro gol. Recepcionado por um protesto da torcida, o Azulão recebeu o Guarani no Rei Pelé e amargou um empate em 1 a 1. A partida desta terça-feira (15) foi válida pela 4ª rodada da competição.

Os gols do jogo saíram apenas no segundo tempo. Bidu marcou primeiro para o Bugre e Silvinho anotou o tento da equipe maruja.

Confira como foi a partida através do Tempo Real da Gazetaweb

Com este resultado, o Azulão deixa a zona da degola para ocupar a 16ª posição, com apenas dois pontos conquistados até aqui. A equipe paulista, por outro lado, chega aos cinco pontos e fica mais perto do G-4, ocupando a 6ª colocação.

O goleiro Raul, o volante Giva Santos e o atacante Yago realizaram suas estreias com a camisa azulina. Já no lado bugrino, o zagueiro Ian Carlo fez a sua primeira partida após retornar de empréstimo no América-RN, mas sentiu a coxa e teve que sair aos 25 minutos da etapa inaugural.

Agora, o Azulão se prepara para encarar a segunda partida na sequência de jogos em casa. Neste domingo (20), às 20h30, o time marujo recebe o Londrina, também no Rei Pelé. O Guarani, por sua vez, volta à campo às 18h30 deste sábado (19) para encarar, no Brinco de Ouro da Princesa, o dérbi campineiro com a Ponte Preta. As partidas serão válidas pela 5ª rodada da Série B.

Protesto da torcida do CSA antes da partida com o Guarani contra a má fase da equipe - Foto: Ailton Cruz

Primeiro tempo

A partida teve um início bastante equilibrado, com ambas as equipes buscando chegar ao ataque através de passes verticais e em profundidade. Quando não estava com a bola, o Azulão buscou adiantar as suas linhas para pressionar a saída de bola bugrina. Apesar disso, a disputa foi desenhando um contorno ameno e sem nenhuma chance clara.

Porém, esse panorama sofreu uma mudança brusca exatamente aos 20 minutos. Davó, do Guarani, foi o primeiro a fazer uma finalização perigosa e acertou a trave esquerda de Raul. O Azulão respondeu primeiro aos 23, quando Kevyn pegou a sobra fora da área e soltou uma bomba para o gol, obrigando o goleiro bugrino Gabriel Mesquita a desviar para escanteio. Na sequência, após a cobrança, Lucão cabeceou em direção da meta. Dellatorre acompanhou o trajeto da bola e tentou tocar nela dentro pequena área, mas não conseguiu e o arqueiro ficou com a redonda.

Assim, a partida ficou mais movimentada e as equipes tiveram mais facilidade para chegar ao ataque. Após ver o Guarani arriscar de fora, ocupar as pontas e, também, alçar bolas em sua área, o Azulão teve a principal chance do primeiro tempo aos 39 minutos. O estreante Yago recebeu uma grande bola de Dellatorre e saiu cara a cara com o goleiro da equipe paulista, mas tentou tirar demais dele no chute e mandou a redonda para fora com demasiado perigo.

A equipe bugrina foi quem mais se aproximou da meta na reta final, mas não conseguiu armar jogadas contundentes e não levou perigo ao goleiro azulino. Devido a saída forçada do zagueiro do Guarani Ian Carlo, que sentiu posterior de uma das coxas aos 25', o árbitro catarinense esticou a primeira etapa em um minuto, que chegou ao fim na faixa dos 46', com o empate sem gols.

Azulão criou a principal chance do primeiro tempo - Foto: Ailton Cruz

Segundo tempo

A equipe azulina iniciou a etapa complementar trabalhando a bola no ataque, chegou a finalizar com Gabriel, mas viu os alviverdes abrirem o marcador. Aos 5 minutos, o lateral Bidu avançou na ponta esquerda e bateu cruzado. O goleiro Raul demorou a cair e deixou a bola rasteira morrer no fundo do gol.

Pressionado com a derrota parcial em casa, o Azulão se lançou ao ataque e iniciou sua saga em busca do empate. A equipe demorou para criar uma situação de perigo, mas conseguiu igualar aos 21'. Após cruzamento de Gabriel, Silvinho deu um toque sutil, de primeira, colocou redonda no contrapé do goleiro bugrino e anotou um bonito tento.

Silvinho teve categoria para anotar o primeiro gol do Azulão na Série A - Foto: Ailton Cruz

O gol que equiparou a partida plantou a sede pela vitória da equipe maruja, que passou a dominar as ações ofensivas desde então. Os azulinos chegaram a ter dois gols impedidos em sequência, sendo o último mal anulado. Após um chute errado de Silvinho, Dellatorre saiu na cara do gol, driblou o goleiro e balançou as redes. O árbitro apontou impedimento, porém, antes da bola chegar ao camisa 9, o zagueiro esticou o pé e tentou dominar. Com isso, a posição do centroavante passaria a ser legal.

O Azulão foi para a etapa final buscando o gol da primeira vitória, mas quem comemorou ao fim da segunda etapa, que teve sete minutos de acréscimos, foi o Guarani, que se recuou e conquistou um ponto importante fora de casa.

Bugre comemora o ponto importante conquistado no Rei Pelé - Foto: Ailton Cruz

Ficha técnica

CSA -Raul; Norberto (Cristovam), Matheus Felipe, Lucão e Kevyn (Vitor Costa); Gabriel Tonini (Giva Santos), Gabriel e Nadson (Silvinho); Yago (Marco Túlio), Iury e Dellatorre. Técnico: Bruno Pivetti.

Guarani - Gabriel; Diogo Mateus, Ian Carlo (Pablo), Carlão e Bidu; Bruno Silva, Índio e Tony (Eliel); Bruno Sávio (Allanzinho), Matheus Souza (Matheus Souza) e Davó (Lucão). Técnico: Daniel Paulista.

Árbitro - Luiz Augusto Silveira (SC).

Assistentes - Kleber Lúcio Gil (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC).

Quarto árbitro - José Ricardo Laranjeira (AL).