Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > esportes > ALAGOANO

Claudinei compara chegada de Roberto Fernandes em 2018 e nesta edição da Série B

Volante afirma que elenco teve um sentimento de tranquilidade após voltar a vencer e reconhece a dificuldade de enfrentar o América-MG

Após demitir Ramon Menezes, o CRB foi ao mercado e buscou um nome conhecido da torcida regatiana. Roberto Fernandes chegou ao Galo e, logo em sua estreia, conquistou sua primeira vitória e a primeira do CRB em sete jogos. Em 2018, Fernandes foi contratado em situação semelhante pelo Galo, para salvar o time do rebaixamento. Daquele elenco, o volante Claudinei ainda continua vestindo a camisa do Regatas e falou sobre a situação atual e a de 2018.

"Situação um pouco diferente, porque naquele ano o Roberto tinha 11 jogos e esse ano são nove. Quando ele chegou em 2018 ele motivou bastante a equipe e é isso que ele tem feito, tentando motivar os atletas para poder buscar os resultados. Ele consegue fazer isso com os atletas para poder ter um resultado diferente. Acho que isso é o ponto mais forte dele, nessas situações mais complicadas e esse ano vamos conseguir tirar o CRB dessa situação", afirmou o volante.

Leia também

Após vencer a primeira partida após uma sequência de sete resultados ruins, o elenco do CRB vai poder passar o Natal um pouco mais tranquilo. Claudinei revelou o sentimento de tranquilidade que o grupo teve após o apito final.

"A vitória traz para todo mundo esse sentimento de tranquilidade. Até porque o CRB estava numa sequência ruim, sem vitórias e isso estava incomodando a gente. Então, a partir dessa vitória, a gente tem que tomar uma nova atitude e ser sempre competitivo nos jogos", disse Claudinei.

O próximo compromisso do Galo é uma pedreira. No sábado (26), o time regatiano vai até Belo Horizonte para enfrentar o América-MG, vice-líder da Série B. Claudinei reconhece a grande dificuldade de jogar no Independência, mas afirmou que dentro de campo, tudo pode acontecer.

"Temos que ser realistas e saber a nossa situação e a campanha do América. Mas creio que, quando entramos no campo, é 11 contra 11. Nós sabemos o que necessitamos para sair com um resultado positivo. Ainda não sei se eles virão completos, por causa do confronto da Copa do Brasil no meio de semana, mas estamos preparados para qualquer equipe do América que vier", completou.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas