Campeã alagoana de taekwondo, ex-atleta da seleção brasileira pede ajuda para disputar campeonato na Bahia

Êmile Vitória, de 18 anos, pratica a arte marcial desde o começo da pandemia e irá representar o Estado na Copa do Brasil de Taekwondo, em abril

Em abril, ocorrerá o 37º Campeonato Brasileiro de Taekwondo, na Bahia. A alagoana Êmile Vitória Silva Calumby Rodrigues, de 18 anos, campeã da arte marcial em 2021, na modalidade Kyorugui individual, de graduação faixa colorida, isto é, ainda na etapa de crescimento de seu conhecimento, precisa de ajuda financeira para custear a viagem, estipulada no valor de R$ 350,00.

Apaixonada por praticar esportes desde pequena, como balé, sapateado e natação, a jovem, da categoria 5º Gub (faixa cinza), teve o primeiro contato com o taekwondo logo após o começo da pandemia de Covid-19 no Brasil, momento quando engordou muito em decorrência do isolamento social e da falta de atividade física regular.

Mas a inatividade passou a mudar quando conheceu a Academia CT Power de Taekwondo, localizada no Conjunto Graciliano Ramos, Cidade Universitária, em Maceió, e o Grão-Mestre Jerônimo Custódio, segundo ela, “meu melhor amigo e conselheiro”.

Êmile auxilia o Mestre Jerônimo durante as aulas; cerca de 15 crianças frequentam a Academia atualmente - Foto: Arquivo pessoal

“Um dia estava passeando com minha sobrinha até o parquinho, e foi nesse momento que descobri o taekwondo, passei pela academia e nós duas ficamos encantadas. O Mestre Jerônimo me atendeu e me apresentou o local. Depois daquele dia, eu sempre pensava em praticar o esporte, mas tinha medo de começar e desistir," disse, revelando que, depois de pensar muito, optou por aprender mais da arte marcial.

"Depois de muito tempo decidi ir, nem fiz a aula experimental, já cheguei pagando minha matrícula e meu dobok (uniforme). Depois daquele dia, não saí mais, evolui bastante. De 3 dias na semana, passei a ir 5; aquele lugar passou a ser meu porto seguro, meu maior momento de conforto, além de me ajudar a voltar a ser flexível, ativa e a perder peso”.

Êmile quer virar faixa preta no Taekwondo e ministrar aulas junto com o mestre Jerônimo - Foto: Arquivo pessoal

De sanar medos a construir aprendizados

Êmily encontrou no taekwondo a chance de se tornar uma atleta e de poder inspirar outras crianças e adolescentes. A convicção veio depois que conquistou o título de revelãnçia na temporada passada, em sua primeira participação.

"Tenho um enorme prazer de dizer que tenho o título de campeã alagoana 2021, foi a minha primeira competição, estava extremamente nervosa", revelou. Agora, a jovem divide a paixão pelo esporte com vários amigos e deseja muito virar faixa preta e ministrar aulas.

Contato e email para quem quiser ajudá-la a ter a chance de conquistar mais um título: