ASA resolve no 1º tempo, vence Afogados fora e abre vantagem no mata-mata da Série D: 2 a 1

Mesmo atuando como visitante, Fantasma tem um primeiro tempo espetacular e só precisa de um empate para avançar

O primeiro de seis passos rumo à Série C foi dado pelo Alvinegro. Na tarde deste sábado (23), o ASA visitou o Afogados no jogo de ida da 2ª fase da Série D do Campeonato Brasileiro. O embate aconteceu no Estádio Vianão, no interior de Pernambuco. Porém, isso não intimidou o Gigante que conseguiu uma bela vitória por 2 a 1, com gols de Anderson Feijão e Roger Gaúcho, todos no 1º tempo. Anderson Chaves marcou para os mandantes.

Com o resultado, o clube arapiraquense só precisa empatar, no jogo da volta, para chegar nas oitavas de final. A grande decisão entre alagoanos e pernambucanos já tem data e hora para acontecer. O confronto de volta está marcado para o dia 31, um domingo, no Estádio Coaracy da Mata, às 16 horas. Lembrando que quem avançar, encara o vencedor de Pacajus e Rio Branco.

1º TEMPO

O confronto em Afogados parecia uma verdadeira final. Com isso, os detalhes definiram os andamentos da partida. Logo com 2 minutos, o ASA teve a primeira chance. Em cobrança de lateral, Thallyson colocou a bola na cabeça de Viçosa, que desviou para o gol e Léo fez uma bela defesa. A partida estava bem aberta. Com 7min, Dim tentou de fora, mas a bola foi por cima.

O embate foi ficando divertido, com as duas equipes mostrando um bom futebol. Aos 12', novamente o Alvinegro assustou. Viçosa fez o pivô com muita qualidade, de cabeça. Ermínio recebeu o passe e finalizou forte, mas para fora. As jogadas ficaram bem trabalhadas, mas as defesas conseguiam ter uma atuação segura. Com 19, Toninho tentou colocar a bola na área, mas ninguém tocou para o gol.

Nenhum dos clubes parecia nervoso em campo, deixando a partida fluir. Com chances mais claras, o Fantasma estava mais próximo do gol. Após uma disputa no meio, Anderson Chaves perdeu a bola. Seu xará, Anderson Feijão, recuperou a posse para o Gigante e arriscou um balão de muito longe. O chute despretensioso foi caindo até entrar no gol de Léo: 1 a 0 para o ASA, e muita festa do time arapiraquense, aos 24 minutos.

Jogadores do ASA comemoram golaço de Anderson Feijão - Foto: Cleber Oliveira - Ascom ASA

A vantagem já era gigantesca, com isso, o confronto ficou em paz para os visitantes. O Afogados ainda tomou um susto, com 26 minutos, quando Anderson Chaves se machucou. Porém, no fim, o jogador se recuperou e voltou ao gramado. Em campo, o Gigante parecia à vontade. Aos 32 minutos, Ermínio fez dupla com Viçosa, que invadiu a área e tocou para o lado, livre, Roger Gaúcho finalizou para o gol vazio e abriu 2 a 0, em pleno Vianão.

A construção do segundo gol foi uma aula de contra-ataque, mas custou caro, já que Júnior Viçosa saiu do lance sentindo. O centroavante teve que sair, para a entrada do estreante Didira. No seu primeiro trabalho, Didira lançou Ermínio, que fez tabela com Feijão, mas finalizou pela linha de fundo, com 39 minutos.

A Coruja vivia um verdadeiro pesadelo dentro de casa. Porém, a esperança veio com 41 minutos. Após cobrança de escanteio, a bola acabou tocando no braço do volante Zé Wilson e Ivan Guimarães marcou pênalti para os mandantes. Na cobrança, o artilheiro Anderson Chaves foi na tranquilidade e deslocou Renan Rinaldi para diminuir: 2 a 1.

O gol justificou o belo primeiro tempo disputado no interior de Pernambuco, mas recompensou a grande atuação do Alvinegro, que chegou no intervalo com a vantagem.

2º TEMPO

Como mata-mata não dá muita margem para erro, os donos da casa tiveram que voltar partindo para o ataque. Foi isso que aconteceu no início da etapa final. Rondando a área, a primeira chance foi aos 4min, em cabeceio de Anderson Chaves para fora. O Tricolor seguiu melhor, mas a defesa do ASA fez um trabalho árduo para segurar o placar. Matheusinho, com 12 minutos, até finalizou no gol, mas Renan fez uma defesa muito segura.

O Afogados demonstrou muita dificuldade para construir, enquanto o Fantasma mal chegava perto do gol de Léo. Renan Rinaldi trabalhou mais e aos 24 minutos defendeu a fraca finalização de Dim. Quando o ASA tentava chegar ao ataque, era com Diego Rosa, que não conseguiu construir boas jogadas.

No segundo tempo, qualidade do jogo caiu, mas Alvinegro conseguiu segurar o resultado - Foto: Cleber Oliveira - Ascom ASA

A qualidade técnica despencou drasticamente nos últimos 45 minutos, mas, para o Gigante, era satisfatório para manter o resultado positivo. Contudo, o ASA ainda teve uma grande chance de marcar o terceiro. Aos 35, Xande fez uma bela jogada individual, pelo lado esquerdo. Do lado da área, ele cruzou mal, mas Diego Rosa chegou finalizando forte e Léo espalmou de maneira sensacional.

O desespero da Coruja foi muito claro. Com 42 minutos, Roberto arriscou de fora, mas a bola subiu demais. Apesar das tentativas, Brumati e Cris Lucca conseguiram segurar com muita competência.

A vantagem era mais do que suficiente para o Alvinegro, que estava completamente satisfeito. A arbitragem indicou seis minutos de acréscimos, que pouco foi aproveitado pelos dois clubes. Sem novas jogadas, a partida chegou ao fim com 51 minutos e uma vantagem gigantesca para o ASA.

Ficha técnica

Afogados - Léo; Toninho Paraíba, Guilherme, Airton Júnior e Mattheus Silva; Dim (Isakiel), Roberto, Nunes (Marquinho); Renezinho (Breninho), Matheusinho (Felipe Eduardo) e Anderson Chaves. Técnico: Ito Roque

ASA - Renan Rinaldi; Michel Tiago, Cris Lucca, Brumati e Thallyson; Zé Wilson (Marcão), Colina e Roger Gaúcho (Assis); Anderson Feijão (Xande), Ermínio (Diego Rosa) e Júnior Viçosa (Didira). Técnico: Jota

Gols - Anderson Feijão (ASA - 24'/1T); Roger Gaúcho (ASA - 32'/1T); Anderson Chaves (AFO - 42'/1T)

Cartões amarelos - Didira (ASA); Toninho Paraíba (Afogados); Isakiel (Afogados); Diego Rosa (ASA)

Árbitro - Ivan da Silva Guimarães Junior (CBF/AM)

Assistentes - Marcos Santos Vieira (CBF/AM) e Uesclei Regison Pereira dos Santos (CBF/AM)

4º árbitro - Paulo Belence Alves dos Prazeres Filho (CBF/PE)