ASA empata com Rio Branco, mas vence por 5 a 4 nos pênaltis e vai disputar mata-mata do acesso na Série D

Após o 0 a 0 no tempo normal, Didira faz o último pênalti e garante o Gigante nas quartas de final, contra o Pouso Alegre

GIGANTE! O ASA está classificado para as quartas de final da Série D do Brasileiro. Na tarde deste domingo (14), o Gigante entrou em campo para encarar o Rio Branco, pelo jogo de volta das oitavas. Em um Coaracy da Mata Fonseca lotado, o Fantasma empatou por 0 a 0 no tempo normal. Contudo, nas cobranças de pênaltis, o Alvinegro conseguiu vencer por 5 a 4.

O Fantasma conseguiu marcar em todas as cobranças. Diogo Vitor, Anderson Feijão, Thallyson, Zé Wilson e Didira fizeram os gols alvinegros. Enquanto isso, André Lessa perdeu do lado acriano. Confira como foi ASA (5) 0x0 (4) Rio Branco através do Tempo Real da Gazetaweb.com! Clique aqui!

Agora o desafio será nas quartas de final, o famoso mata-mata do acesso. O adversário será o Pouso Alegre, de Minas Gerais, que eliminou o Paraná. Por conta da classificação geral, o primeiro jogo será em Arapiraca e a volta no interior mineiro. Os confrontos devem acontecer nos dois próximos finais de semana, porém, as datas ainda serão divulgadas pela CBF.

No detalhe, Alvinegro conseguiu a classificação, dentro de casa, contra o Rio Branco - Foto: Ailton Cruz

1º TEMPO

O clima era de decisão e ninguém podia errar. Com o 0 a 0 do agregado, as equipes foram mais ofensivas, aos menos nos minutos iniciais. O Rio Branco finalizou logo aos 30 segundos, com Leonardo, mas a bola foi longe do gol. Com apoio da torcida, o Fantasma começou a tomar uma atitude, chegando ao campo de ataque. Enquanto isso, o Estrelão jogava com uma certa calma. Contudo, o início do confronto começou a ser muito mascado, com jogadores do time acriano caindo bastante.

As melhores chegadas do Gigante aconteceram pelas pontas, mas os cruzamentos não tinham muita efetividade. Em diversos casos, o goleiro Evandro Gigante afastou no soco. Com 20 minutos, o ASA ainda não tinha finalizado. Enquanto isso, Matheus Nego voltou a tentar de fora da área, do lado acriano, aos 22min. A bola desviou na defesa e ficou fácil para Renan Rinaldi.

Primeiro tempo no Fumeirão foi muito equilibrado, mas equipes pouco atacaram - Foto: Ailton Cruz

Com 23 minutos, veio a grande chance alvinegra. Anderson Feijão cobrou escanteio na direita e achou Diego Rosa. Sozinho, o atacante chegou finalizando, na boca do gol, mas Evandro Gigante fez uma defesa espetacular para manter o placar. O nervosismo e a cautela excessiva eram notórios. O ASA só voltou a finalizar com 33 minutos, quando Roger Gaúcho arriscou de fora, porém, longe do alvo.

Jogando contra a massa alvinegra, o Rio Branco ficou mais preocupado em se defender no primeiro tempo. O time de Bruno Monteiro não tinha muita pressa. A ideia de jogo deu certo, tanto que o Alvinegro chegou ao fim do primeiro tempo sendo inofensivo.

Incomodado com o desempenho ofensivo, Jota já iniciou o aquecimento dos reservas no final da primeira etapa. Com 44, Marcos Paixão furou e quase deixou Ermínio na cara do gol, mas Jackson salvou o Rio Branco. A última chance do primeiro tempo foi do Estrelão. Em contra-ataque veloz, Wanderson bateu colocado na entrada da área e deu um susto em Renan. Com esse lance, a arbitragem encerrou os primeiros 45 minutos, ainda zerados.

Jota saiu muito incomodado com baixo desempenho no primeiro tempo - Foto: Ailton Cruz

2º TEMPO

Com uma aparente apreensão, o técnico do Fantasma resolveu fazer mudanças um pouco diferentes, abrindo mão de Roger Gáucho e Ermínio, para colocar Damasceno e Didira, para povoar o meio. Com 15 minutos, o Gigante quase chegou. Damasceno achou um cruzamento perfeito para Anderson Feijão, mas o camisa 10 chegou atrasado e não empurrou para as redes. Aos 17min, Ramon teve uma chance dourada. Dentro da área, o camisa 22 fez boa jogada, entretanto, tocou errado e Thalysson afastou a bola da área.

Com uma aparente apreensão, o técnico do Fantasma resolveu fazer mudanças um pouco diferente, abrindo mão de Roger Gáucho e Ermínio, para colocar Damasceno e Didira, para povoar o meio. Com 15 minutos, o Gigante quase chegou. Damasceno achou um cruzamento perfeito para Anderson Feijão, mas o camisa 10 chegou atrasado e não empurrou para as redes. Aos 17min, Ramon teve uma chance dourada. Dentro da área, o camisa 22 fez boa jogada, entretanto, tocou errado e Thalysson afastou a bola da área.

Nas chances que teve, ASA parou no goleiro Evandro Gigante - Foto: Ailton Cruz

O ASA persistia, mas era difícil encontrar uma boa chance. Com 22, após cobrança de escanteio, Alysson Dutra conseguiu cabecear dentro da área, mas Evandro agarrou mais uma. As chances do Rio Branco, por outro lado, não eram tão efetivas. Contudo, na defesa, não haviam tantos sustos.

Com o segundo tempo chegando na metade final, a tensão era clara. O resultado de 0 a 0, confirmava que o classificado seria conhecido nos pênaltis. Assim, o tempo era curto para as equipes buscarem algo. O que mais incomodava a torcida arapiraquense, era a alta quantidade de passes errados. Com 40, o ASA voltou para a área. Thallyson e Zé Wilson tentaram, mas foram travados, frustrando a torcida alvinegra.

Vinícius Gomes indicou sete minutos de acréscimos. Único tempo restante para as equipes evitarem os pênaltis. Com isso, ASA passou a tentar de qualquer maneira. A última chance veio nos pés de Thallyson. Com 47 minutos, Michel Tiago cruzou bem e o lateral recebeu sozinho. Ao invés de finalizar, ele demorou e acabou perdendo a chance derradeira. Assim, o tempo regulamentar acabou e o embate foi para a marca da cal.

Com empate por 0 a 0, classificado teve que ser definido nos pênaltis - Foto: Ailton Cruz

Pênaltis

Na primeira cobrança, Ciel marcou para o Rio Branco. Diogo Vitor, para o ASA, conseguiu empatar na sequência. Na segunda cobrança do Estrelão, André Lessa acabou isolando feio, abrindo margem para os mandantes. A responsabilidade, então, ficou para Feijão, que foi para a segunda do Alvinegro e marcou: 2 a 1. Com isso, no mínimo, o Rio Branco tinha que marcar todos. No seu terceiro, Isaías finalizou na trave e a bola entrou. Porém, Thallyson tratou de manter a vantagem do Fantasma: 3 a 2.

O centroavante Wanderson, conseguiu dar uma sobrevida às esperanças Alvirrubras: 3 a 3. Zé Wilson, na sequência, fez o 4 a 3. Negueba, porém, fez o quarto do Rio Branco. Com isso, a nova responsabilidade caiu no colo de Didira, e quis o destino que ele fizesse o gol da classificação: 5 a 4 para o ASA.

No quinto e último pênalti, Didira marcou e classificou o Fantasma para as quartas - Foto: Ailton Cruz

Ficha técnica

ASA - Renan Rinaldi; Michel Tiago, Benne, Alysson Dutra e Thallyson; Jorginho (Diogo Vitor), Zé Wilson e Roger Gaúcho (Damasceno); Anderson Feijão, Diego Rosa (Xande) e Ermínio (Didira). Técnico: Jota

Rio Branco - Evandro Gigante; Isaías, Marcos Paixão, Hugo e Negueba; Jackson, Leonardo, André Lessa (Ciel) e Matheus Nego (Ramon Santos); Rabiola (Marcos Santos (Eudes)) e Wanderson. Técnico: Bruno Monteiro.

Pênaltis marcados - Ciel (Rio Branco); Diogo Vitor (ASA); Anderson Feijão (ASA); Isaías (Rio Branco); Thallyson (ASA); Wanderson (Rio Branco); Zé Wilson (ASA); Negueba (Rio Branco)

Pênaltis perdidos - André Lessa (Rio Branco)

Cartões amarelos - Leonardo (Rio Branco); Wanderson (Rio Branco)

Árbitro - Vinícius Gomes do Amaral (CBF/MG)

Assistentes - Fernanda Nândrea Gomes Antunes (FIFA/MG) e Magno Arantes Lira (CBF/MG)

Quarto árbitro - Jonata de Souza Gouveia (CBF/AL)