Nos Aflitos, CSA empata com o Náutico e ganha uma posição: 0 a 0

Jogo foi sem emoção, mas Azulão conseguiu segurar o Timbu e conquistou um pontinho precioso na Série C

Na tarde deste domingo (6), ninguém foi de ninguém no estádio dos Aflitos, no Recife-PE. Em um jogo onde faltou emoção, CSA e Náutico ficaram apenas no empate por zero a zero, frustrando suas torcidas, que esperavam mais A partida foi válida, pela 16ª rodada da Série C do Brasileiro.

Mas, com este empate, o Azulão conquistou um pontinho importante na competição e agora ocupa a 10ª posição na tabela, com 22 pontos. E o Timbu é o 6º colocado, somando 25 pontos.

Reveja como foi o jogo no YouTube da Gazeta!

O próximo jogo das duas equipes será apenas no domingo (dia 13). O CSA, desta vez, vai jogar em casa, no Estádio Rei Pelé, onde receberá o Botafogo-PB, às 16 horas. Já o Timbu tem um compromisso fora de casa, contra a Paysandu, no estádio da Curuzu, também às 16 horas.

Náutico x CSA, nos Aflitos: jogo sem gols no 1º tempo - Foto: José Marcos/Ag Onzexpressimagens

1º Tempo

O jogo começou com o Náutico pressionando nos minutos iniciais. Aos 2 minutos, após o CSA errar na saída de bola, Paul Villero recuperou, toca para Souza, que chutou na área, reclamou que a bola foi na mão da defesa azulina, mas o árbitro mandou o jogo seguir. Aos 5min, em cobrança de escanteio para o Timbu, a defesa do CSA ficou com a bola.

Querendo a classificação, o Náutico seguia pressionando o Azulão, que errou de novo na saída de bola, aos 6 minutos. Elton, então, tocou para Souza e ele soltou uma bomba, de longe, mas ela foi para fora. Quando o Azulão tentou sair, aos 10', indo em velocidade pela direita, Iago Teles estava em posição de impedimento e a chance foi perdida.

Aos 15min, na chegada do CSA, Marciel se mandou até a linha de fundo e cruzou forte, rasteiro, mas Rennan Siqueira se jogou e a bola triscou em Gabriel Taliari e saiu. Até esse momento, o Náutico era quem buscava mais o gol, porém, o jogo era muito truncado, com erros por parte dos dois times. Com 17min, o Timbu quase fez o gol. Denílson recebeu lançamento de Berguinho e cabeceou forte, mas a bola passou raspando a trave azulina.

A partida se encaminhava para os 20 minutos e o panorama não havia mudado. Aos 22 minutos, o timbu chegou com perigo. Rennan Siqueira tocou rasteiro para Berguinho, que girou dentro da área e chutou no ângulo superior direito, mas o goleiro Dalberson subiu e fez uma bela defesa, salvando o Azulão de levar o primeiro gol.

Estádio dos Aflitos teve um bom público para Náutico x CSA

E só dava Náutico. Aos 24', Paul Villero cruzou na área, a zaga do CSA não tirou e a bola sobrou para Jeam, que chutou forte, no canto, e Dalberson, já no chão, fez um verdadeiro milagre, uma defesaça, evitando o gol. E o Timbu quase abriu o placar, aos 26min. Villero recebeu um lindo passe de Berguinho e, de frente para Dalberson, chutou em cima dele. E o goleiro azulino salvou o CSA, mais uma vez.

O jogo passava dos 30 minutos e o CSA não incomodava o Náutico. Tanto que o goleiro do time pernambucano não tinha tido ainda nenhum trabalho, era apenas um mero espectador. Ou seja, ofensivamente, o Azulão era nulo. Passando dos 35 minutos, a partida caiu de produção, com o Timbu sem exercer mais pressão e o Azulão sem ter ímpeto algum.

O Náutico criava chances, mas perdia muito as oportunidades. E o duelo chegava aos 45 minutos, quando o árbitro levantou a plaquinha mostrando 3 minutos de acréscimos. E, sem emoção alguma, o jogo em seu primeiro tempo foi encerrado aos 49 minutos, sem ninguém mexer no placar: 0 a 0.

Náutico e CSA debaixo de muita chuva no Recife - Foto: José Marcos/Ag Onzexpressimagens

2º Tempo

O CSA voltou com duas mudanças, entrando Jô e Tomas Bastos E deu uma melhorada. Porém, o início do segundo tempo começou sem emoção. Uma boa jogada do CSA, que chegou com perigo, se deu aos 8min. Tomás Bastos fez uma jogada individual, entrou na área e chutou cruzado, mas Rennan Siqueira tirou rapidinho, no susto.

Vendo que seu time caiu de produção no segundo tempo, o técnico Fernando Marchiori mexeu no Náutico e fez logo três mudanças. Aos 16 minutos, em tentativa do Timbu, Denílson recebeu a bola no segundo pau e cabeceou, mas Dalberson encaixou sem sustos. Aos 20min, em falta cobrada para o Náutico, Eduardo cobrou na medida, mas viu Dalberson se jogar para evitar o gol do Náutico.

Com as substituições, o jogo ficou com o CSA um pouco melhor do que foi na etapa inicial, não dava mais tantos espaços, mas ainda faltava muito para quem buscava o gol. Quanto ao Náutico, tentava chegar, mas também nada que surtisse efeito. Aos 25 minutos, Júnior Todinho, do Azulão, arriscou o chute de fora da área e Vagner segurou a bola.

CSA e Náutico ficaram mesmo no empate sem gols - Foto: José Marcos/Ag Onzexpressimagens

E, assim, a partida já passava dos 30 minutos. Aos 36', em tentativa do time pernambucano, Rennan Siqueira puxou pela linha de fundo, cruzou e foi interceptado pela defesa do CSA. A bola ainda foi em direção ao gol, mas Dalberson afastou, mandando para escanteio para o Náutico.

Os dois times, a essa altura, já tinha tido todas as cinco substituições permitidas para cada. Isso com o jogo chegando aos 40 minutos. Aos 42', a defesa do Náutico deu vacilo após lançamento, a bola sobrou para Júnior Todinho, que finalizou e o goleiro Vagner se jogou para evitar o gol do CSA, para alívio da torcida do time pernambucano.

Chegando aos 45 minutos, o árbitro determinou 7 minutos de acréscimos. Assim, a partida ia até os 52 minutos. O Náutico passou a apertar nos últimos minutos em busca do gol. Mas nada de as redes balançarem. Assim, aos 52', o duelo chegou ao fim, com o 0 a 0 decretado.

Momento de Náutico e CSA, em jogo pela Série C, nos Aflitos - Foto: José Marcos/Ag Onzexpressimagens

Ficha Técnica

Náutico - Vagner; Victor Ferraz, Denilson, Richardson e Rennan Siqueira; Elton (Jean Mangabeira), Eduardo e Souza (Gabriel Santiago); Berguinho (Bryan), Paul Villero (Alisson Santos) e Jeam (Ribamar). Técnico: Fernando Marchiori.

CSA - Dalberson; Arnaldo (Everton Silva), Ednei, Rafael Forster (Paulo César) e Rhuan Ferreira; Bruno Matias, Moisés (Jô) e Marciel (Tomas Bastos); Júnior Todinho, Iago Teles (Ray Vanegas) e Gabriel Taliari. Técnico: Marcelo Cabo.

Árbitro - Dyorgines José Padovani de Andrade (CBF/ES).

Assistentes - Pedro Amorim de Freitas (CBF/ES) e Guthieri Javarini Rodrigues (CBF/ES).

Quarto árbitro - Diego Fernando Silva de Lima (CBF/PE).

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p