CSA lança uniforme em homenagem aos 30 anos da torcida Mancha Azul

Camisa traz referências à data de fundação da maior torcida organizada do Azulão

O CSA apresentou, nesta segunda-feira (24), mais um uniforme para a equipe. Desta vez trata-se de uma homenagem aos 30 anos de fundação da Torcida Organizada Mancha Azul (TOMA), maior organizada do Azulão e que foi fundada em 23 de outubro de 1992. O modelo fecha a coleção de 2022 do time azulino, que contou com três camisas de jogo, coleção especial para a Copa do Mundo do Catar e o manto da Consciência Negra.

Predominantemente branco, o produto, que foi confeccionado pela Volt Sport, conta com particularidades em azul nas laterais e nas mangas. Além disso, nos ombros, foram sublimados vários escudos do clube. Na parte traseira da gola, possui detalhes com ano de fundação da torcida. Os modelos serão vendidos com a numeração ‘’92’’, outra referência ao ano em que o grupo de torcedores surgiu. Do lado esquerdo superior, o escudo do CSA foi aplicado em TPU. E, na direita, o da empresa que confeccionou o material aparece em 3D.

Nova camisa do CSA em homenagem à Torcida Mancha Azul - Foto: Divulgação

“A camisa é uma homenagem aos nossos torcedores, o maior patrimônio do CSA. Apesar das dificuldades, a torcida nunca nos abandonou, sempre enchendo as arquibancadas do Rei Pelé e conduzindo o clube a conquistas históricas”, afirmou o diretor de negócios do CSA, Ricardo Lima.

A estreia da nova camisa ocorrerá na partida contra o Vila Nova, nesta terça-feira (25), no Rei Pelé, pela Série B com as vendas no e-commerce iniciando no mesmo dia. Já nesta quarta-feira (26), os uniformes também estarão disponíveis nas lojas físicas e serão comercializados na loja física oficial.

Torcida Mancha Azul em ação durante jogo do CSA no Rei Pelé - Foto: FOTO: Arquivo / Gazetaweb

Como foi

Vale lembrar que a Mancha Azul foi criada graças à junção de duas torcidas organizadas do CSA, no caso, a Força Jovem e a Dragões Azulinos. A Força Jovem, inclusive, foi a primeira T.O. do CSA e tinha também o maior número de componentes. Era presidida pelo ex-presidente da Mancha Azul, Marcelo Rocha. Já a Dragões tinha como presidente Eduardo Alvim, que depois, quando a Mancha Azul foi fundada, passou a ser vice-presidente da mesma.

Na reunião em que foi escolhido o nome da nova torcida azulina, à época, haviam três opções: Dragões da Força Jovem, Maldição Azul ou Mancha Azul, tendo esta última vencido a escolha.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p