Com rebaixamento se aproximando, CSA joga a vida contra a Ponte Preta, em Campinas

Azulão está em situação delicadíssima na Série B e precisa de resultado positivo, fora de casa, para seguir sonhando com permanência

Nesta quinta-feira (20), o CSA tem uma partida providencial na Série B do Campeonato Brasileiro. Pela 36ª rodada da competição, o Azulão visita a Ponte Preta, às 21h30, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. O confronto será de vida ou morte, de extremo nervosismo para os azulinos, já que a equipe está beirando o rebaixamento e precisa vencer para seguir com chances reais de permanecer. Já a Macaca cumpre tabela, pensando no próximo ano.

Panorama

O sonho da permanência parece cada vez mais distante. Na última rodada, o CSA perdeu em casa, para o Londrina, e atingiu incríveis 96,1% de chances de rebaixamento. Com isso, a campanha nas três últimas rodadas precisa ser, praticamente, perfeita. No momento, o time está em 17º, com 36 pontos, e não pode deixar o Z4 nesta semana. Fora isso, o Azulão fará seu primeiro embate após a demissão de Roberto Fernandes. Com isso, Adriano Cabeça comanda a equipe.

CSA vai reencontrar o Londrina, agora na Série C - Foto: Ailton Cruz

Já do lado da Ponte, o ritmo é de férias. A equipe está mais do que satisfeita com a temporada na Série B e não compete por mais nada. O único objetivo do clube paulista é, necessariamente, terminar na posição mais alta possível. No momento, a Macaca está na 12ª posição da Segundona, com 45 pontos, e pensa na próxima temporada.

CSA

Tudo o que tinha para dar errado para o CSA, na última rodada, deu. Além de ter perdido, a equipe teve dois gols anulados, confusão entre jogadores e torcida, perdeu e assistiu ao Novorizontino vencer o Náutico para se distanciar da briga contra o Z4. Com isso, a situação azulina é difícil, ainda mais por conta dos desempenhos fora de casa. Em 17 jogos como visitante, o time alagoano venceu apenas uma vez.

A chance do CSA contra a Ponte é o fato de a Macaca não ter pretensões no Brasileirão. Fora isso, o Azulão terá um fato novo: o técnico Adriano Cabeça. O auxiliar fixo do clube será o treinador até o fim da Série B, e ainda alimenta esperanças de permanência. Seu desempenho como interino, na Segundona, é de 100% de aproveitamento (3 vitórias, entre 2020 e 2022).

Cabeça irá comandar o Azulão do Mutange nas últimas três rodadas finais da Série B - Foto: Morgana Oliveira

Conhecendo bem o elenco azulino, Adriano deverá fazer mudanças, sobretudo na formação, que pode voltar para o 4-3-3. Com três atacantes e, possivelmente, ainda sem Lucas Barcelos, o ataque do CSA deve ter Rogério, Osvaldo e Élton. Artilheiro do time na temporada, Rodrigo Rodrigues pode brigar por uma vaga. No ataque, John Mercado também não joga, pois foi expulso contra o Londrina.

Na defesa, o lateral direito Lucas Marques está suspenso. Por isso, Igor e Jonathan são alternativas para a posição. Entre os meias, Lucas Lourenço deve voltar ao banco de reservas. Desta forma, Geovane, Gabriel e Yann Rolim devem ser titulares.

A provável formação do CSA é: Marcelo Carné; Jonathan (Igor), Lucão, Guilherme Paraíba e Diego Renan; Geovane, Gabriel e Yann Rolim; Rogério, Osvaldo e Élton (Rodrigo Rodrigues).

PONTE PRETA

Sem vencer há quatro jogos, a Ponte não aparenta estar muito preocupada com a reta final da Série B. O principal objetivo já foi alcançado, que era a permanência. Assim, a equipe campineira só tem olhos voltados para 2023 e joga quase em um ritmo de amistoso.

Pensando nisso, a Macaca renovou com o técnico Hélio dos Anjos, um dos principais responsáveis pela boa campanha no torneio. Por outro lado, Hélio deve mandar força máxima para enfrentar o CSA. O treinador tem os importantes retornos do goleiro Caíque França, do lateral direito Igor Formiga e do meia Walisson. Todos costumam aparecer entre os titulares, por isso, devem enfrentar o clube marujo.

Goleiro Caíque França é um dos principais retornos ao time de Hélio dos Anjos - Foto: Diego Almeida/PontePress

Quem também pode voltar é o atacante Lucca. Fora do empate contra o Tombense, na última rodada, ele estava se recuperando do desgaste físico e é opção. Caso seja mais uma vez preservado, o titular pode seguir sendo Ribamar.

Os únicos desfalques da Ponte Preta seguem sendo aqueles jogadores que já estão no DM há algum tempo. Casos de Fessin, Everton, Ramon e Fabinho.

Assim, com boa parte do elenco pronto, Hélio deve jogar com: Caíque França; Igor Formiga, Mateus Silva, Fábio Sanches e Artur; Fraga (Moisés), Wallison (Felipe Amaral), Léo Naldi e Elvis; Echaporã e Lucca (Ribamar).

Arbitragem

Diego Pombo Lopez (CBF/BA) será o árbitro do confronto decisivo em Campinas. Os assistentes serão Edevan de Oliveira Pereira (CBF/BA) e Vanessa Santos Azevedo (CBF/SE). Já o quarto árbitro será Paulo Cesar Francisco (CBF/SP). Daniel Nobre Bins (VAR-FIFA/RS) fica responsável pelo VAR. Já seu assistente será Marco Aurélio Augusto Fazekas Ferreira (CBF/MG).

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p