Dólar

-0,18% R$ 5,37

Euro

-0,52% R$ 5,15

BitCoin

-1,26% R$ 101873,67

Ibovespa

-0,65% R$ 108403,29

Custos da construção em Alagoas subiram 7% este ano, aponta IBGE

Somente em julho o índice subiu 0,52% no Estado; já o acumulado nos últimos 12 meses foi de 12,17%.

O Índice Nacional da Construção Civil acumula alta de 7% este ano em Alagoas, de acordo com os dados divulgados na última terça-feira (09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Somente em julho o índice subiu 0,52% em Alagoas. Já o acumulado nos últimos 12 meses foi de 12,17%.

O custo da construção por metro quadrado em Alagoas, que no mês de junho havia fechado em R$ 1.447,85 passou para R$ 1.455,45 em julho, sendo R$ 918,28 relativos aos materiais e R$ 537,17 à mão de obra.

A parcela dos materiais apresentou variação de 0,83% em Alagoas no mês de julho, registrando aumento de 0,42 ponto percentual em relação à variação observada no mês anterior (0,41%). Já a parcela da mão-de-obra apresentou estabilidade.

No Brasil, o índice subiu 1,48% em julho, uma variação 0,17 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de junho, que foi de 1,65%. Assim, o acumulado de janeiro a julho fechou em 9,11%. Já o acumulado nos últimos doze meses foi de 14,07%, resultado um pouco abaixo dos 14,53% registrados nos doze meses imediatamente anteriores.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, foi de R$ 1.652,27 em julho, sendo R$ 987,88 relativos a materiais e R$ 664,39 à mão de obra. Em junho, o custo nacional fechou em R$ 1628,25.

O Sinapi, como é conhecida esta pesquisa, é uma produção conjunta do IBGE e da Caixa Econômica Federal que tem por objetivo a produção de séries mensais de custos e dies para o setor habitacional, e de séries mensais de salários medianos de mão de obra e preços medianos de materiais, máquinas e equipamentos e serviços da construção para os setores de saneamento básico, infraestrutura e habitação.

As estatísticas do Sinapi são fundamentais na programação de investimentos, sobretudo para o setor público. Os preços e custos auxiliam na elaboração, análise e avaliação de orçamentos, enquanto os índices possibilitam a atualização dos valores das despesas nos contratos e orçamentos.