Príncipe Charles rejeita a acusação de ter questionado o tom de pele do filho de Harry e Meghan

Wm livro que será lançado nesta terça-feira (30), o autor Christopher Andersen afirma que Charles perguntou como seria a pele da criança

O porta-voz do príncipe Charles rejeitou nesta segunda-feira (29) uma afirmação feita em um livro de que o herdeiro do trono britânico havia questionado qual seria o tom de pele do filho do príncipe Harry e de Meghan Markle.

No livro 'Brothers And Wives: Inside The Private Lives of William, Kate, Harry and Meghan ("Irmãos e Esposas: Por dentro das vidas privadas de William, Kate, Harry e Meghan", em tradução livre do inglês para o português), o autor Christopher Andersen diz que Charles perguntou como seria a pele da criança.

"Isso é ficção e não vale a pena comentar", disse o porta-voz de Charles a repórteres em Barbados.

O príncipe está em Barbados para participar de comemorações que marcam a mudança da ilha, que agora virou uma república e se afastou de vez da coroa britânica.

De acordo com o site de notícias de celebridades Page Six, o livro relata uma suposta conversa entre Charles e sua esposa Camilla.

Na manhã do noivado de Harry e Meghan em 2017, Charles teria dito: "Eu me pergunto como serão as crianças?". Ao que parece, Camilla ficou "um pouco surpresa" e respondeu: "Bem, absolutamente linda, tenho certeza".

Revelações de Meghan na TV

O livro, que deve ser lançado nesta terça-feira (30), não acusa Charles diretamente de ser o membro da família não identificado que Meghan acusou de levantar preocupações sobre o quão escura a pele de seu filho pode ser. A afirmação foi feita durante entrevista para a apresentadora Oprah Winfrey, em março deste ano.

Meghan, cuja mãe é negra e o pai é branco, disse que seu filho Archie teve negado o título de príncipe por conta de preocupações dentro da família real "sobre o quão escura sua pele poderia ser".

Após a entrevista a Oprah, o Palácio de Buckingham disse que as questões levantadas, principalmente sobre raça, eram preocupantes e seriam levadas muito a sério e tratadas pela família em particular.