Polícia revela que Marília Mendonça morreu do impacto da aeronave com o solo

Polícia Civil de Minas Gerais realizou entrevista coletiva nesta quinta (25/11) para explicar causa das mortes dos 5 ocupantes da aeronave

A Polícia Civil de Minas Gerais informou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (25/11), que a cantora Marília Mendonça morreu de politraumatismo provocado pelo acidente de avião que aconteceu no dia 5 deste mês, em Caratinga (MG).

O médico-legista Thales Bittencourt afirmou que todos os cinco envolvidos no acidente foram vítimas de politraumatismo contuso: o tio e assessor da artista, Abiceli Silveira Dias Filho, 43 anos; o produtor Henrique Ribeiro, 32; o piloto Geraldo Martins de Medeiros Júnior, 56; e o copiloto Tarciso Pessoa Viana, 37; além da cantora, 26. O médico ainda relatou que todos os ocupantes morreram pelo impacto da aeronave com o solo.

O delegado Ivan Salles declarou que um piloto, que pousou 20 minutos depois do acidente com o avião de Marília, contou que conversou com o piloto da aeronave da cantora. De acordo com o depoimento do homem, chamado Geraldo Martins, o comandante do avião da artista não reportou qualquer problema.

A testemunha saiu de Viçosa e pousou em Caratinga. Ele ainda relatou que a aeronave da cantora estava em procedimento de pouso, com estimativa para chegar ao solo entre 1 minuto e 1 minuto e meio, quando provavelmente se chocou com as linhas de transmissão de uma torre da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Salles ainda afirmou que a hipótese do choque entre a aeronave e as linhas da Cemig se torna mais possível pelo fato de o piloto estar em procedimento de pouso e não ter relatado problemas. Entretanto, a confirmação dessa possibilidade ainda depende das investigações feitas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que apura a possibilidade de pane nos motores.