Modelo amputada é acusada de photoshoppar fotos 'para chamar a atenção'

A neozelandesa Cherie Louise, de 29 anos, tem mais de 70 mil seguidores e teve perna direita amputada após câncer

A modelo neozeandesa Cherie Louise, de 29 anos de idade, deu uma entrevista ao site Daily Mail e falou sobre sua carreira após amputar a perna direita por conta de um câncer raro nos ossos diagnosticado quando ela tinha apenas 6 anos.

Com mais de 70 mil seguidores no Instagram, Cherie costuma postar cliques para divugar seu trabalho e, em sua grande maioria, sem uma prótese, ela utiliza as muletas nas fotos e acabou sendo alvo de críticos que chegam até a dizer que ela estaria mentindo sobre sua deficiência.

"As pessoas nas redes sociais muitas vezes me acusam de fingir que tenho uma perna e alegam que eu tiro minha perna das fotos com o Photoshop para chamar a atenção", disse Cherie. Segundo ela, os seguidores acham que ela faz isso para "chamar a atenção" e, assim, conquistar mais trabalhos.

"Eu sei que os comentários são ridículos e facilmente refutáveis, então alguns podem achar que é engraçado quando as pessoas dizem isso, mas para mim, é muito irritante, dado tudo que passei para sobreviver e chegar a um ponto que estou agora onde tenho certeza de quem sou e de minha aparência", explicou.

Na entrevista, Louise afirma que os negacionistas são os menores dos problemas. "Quando eu era jovem, não acreditava que iria conseguir um emprego, me apaixonar, ter uma família ou qualquer uma dessas coisas, porque nunca conheci um amputado que tivesse", completou a modelo.

"Foram inúmeras noites em que passei chorando por causa de fotos minhas antes da amputação, me perguntando por que isso aconteceu comigo, desejando que um dia acordasse e tivesse duas pernas novamente. Sempre me destaquei, e isso acabou me fazendo desistir de fazer coisas que me chamavam mais atenção, como praticar esportes", ainda disse Cherie que, quando chegou aos 20 anos, contou com a ajuda de amigos, que a incentivaram a compartilhar suas fotos nas redes sociais.

"Na verdade, desempenhou um grande papel no ganho de autoconfiança para mim, porque descobri que quanto mais eu me colocava nas redes sociais, menos me preocupava com o que as pessoas pensavam de mim. Eu também encontrei uma modelo com a mesma amputação que a minha no Instagram ... Lembro de ver que ela postou fotos dela de maiôs e até mostrando suas cicatrizes", explicou a modelo sobre a representatividade ao se deparar com outra amputada.

Com a abertura cada vez maior da inclusão aos PCD (pessoas com deficiência), Cherie tem visto sua agenda aumentar cada vez mais com desfiles, ensaios de fotos e outros trabalhos no mundo fahsion.

"Espero ser vista por crianças com deficiência que não têm certeza do que o futuro lhes reserva. Quero entrar nos setores que sempre inventaram histórias para nós, em vez de deixar que as contemos", finalizou.