Fabíula Nascimento desabafa sobre violência doméstica sofrida pelo pai

Atriz afirmou que está trabalhando o perdão há anos, mas que não convive, nem tem intenção de conviver com o genitor

Fabíula Nascimento desabafou sobre o passado de violência doméstica que viveu com seu pai. “É uma coisa que sempre tive vontade de falar. Eu acho, hoje em dia, por ele estar ao vivo e pela violência já ter prescrevido, com o mundo de internet que a gente vive e essa coisa de ódio gratuito, não desejo que ele sofra algum tipo de violência escrita”, contou a atriz ao ao podcast Calcinha Larga, comandado por Tati Bernardi, Camila Fremder e Helen Ramos

A atriz, que está grávida de gêmeos, revelou que não convive mais com o genitor. “São anos trabalhando o perdão e desejando as melhores coisas para esse homem, para que ele siga e esteja bem. Sempre foi o meu trabalho espiritual na vida. Não faço uma terapia convencional, sou da terapia holística, há pelo menos uns 8 anos. Venho trabalhando isso. Hoje, tenho ele num lugar do meu coração super cuidadinho, sabe? Abracei aquela criança, porque ele também já foi criança, né? Ele também passou dificuldades. E a gente segue. Mas eu não convivo e não tenho nenhuma intensão em conviver.”

Apesar de não ter mais contato com o pai e reconhecer o ambiente de violência em que cresceu, Fabíula não mencionou o nome do pai durante toda a entrevista. “Posso falar dessa experiência, mas não preciso dar nome a este homem. Tem um tempo também. De repente, daqui a 30 anos eu queira falar sobre isso, queira fazer uma peça de teatro que conte alguma coisa relacionada. Mas eu sempre sinto que essa história ficou para lá. Meu passado não me pertence, eu vivo hoje”, completou.

Ela ainda demonstrou empatia pela mãe. “Minha mãe é uma pessoa que teve pouquíssimas oportunidades na vida. Ela sofreu muito, no relacionamento, na vida e em casa. Não foi uma vida fácil. Mas é uma mulher que mantém uma alegria assim tão potente”, falou.