Congresso acadêmico realiza live sobre mulheres e feminismos negros nesta segunda (25)

21º Redor será lançado oficialmente no evento virtual, que reúne reconhecidas pesquisadoras da área

A Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre Mulher e Relações de Gênero (REDOR) realiza uma live, nesta segunda-feira (25), discutindo vivências negras no feminismo. O evento virtual faz parte do aquecimento par ao congresso acadêmico do grupo, que ocorre em novembro.

A live ‘Mulheres Negras e Feminismos Negros’ terá nomes como Denise Botelho (UFRPE), Marli Araújo (UFAL) e Aparecida Batista (UFAL), e acontece no YouTube. A transmissão abre uma sequência de lives para anteceder o evento, em 9, 10, 11 de novembro, na cidade de Maceió, Alagoas.

O dia 25 de julho não foi escolhido em vão. Nessa data é celebrado o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. A professora Elvira Barretto (UFAL) é coordenadora geral do Encontro em Alagoas e conta que a tecnologia serviu como meio para realizar um aquecimento da REDOR com a realização das lives Pré-REDOR. "Em novembro, teremos um evento semipresencial, com abertura na UFAL e, a partir dos dias seguintes, na Associação Comercial, no bairro do Jaraguá", com um belo encerramento artístico-cultural, explica.

Considerando a realização de grande importância, Elvira lembra que o evento é o 21º encontro da REDOR e que também celebra 30 anos da Rede Feminista Norte-Nordeste de Estudos e Pesquisas Sobre Mulher e Relação de Gênero. "Foi escolhido o mês de consciência negra, nas terras de Dandara, Zumbi e Aqualtune", diz a professora.

A live começa às 19h30. Clique aqui para assistir.

Vale lembrar que as inscrições da REDOR 30 anos, em novembro, podem ser realizadas por meio da plataforma Doity.

SOBRE AS PALESTRANTES

Denise Botelho - Atua na área de educação e relações étnico-raciais, com ênfase em interseccionalidades de raça e gênero. Desenvolve pesquisas em educação intercultural e religiões de matrizes africanas e afro-indígenas e feminismo interseccional.

Marli Araújo - Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas (2002), mestrado em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas (2008) e doutorado em Serviço Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2017). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Alagoas. Coordenadora no Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) Campus Arapiraca.

Aparecida Batista - Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Alagoas (1978) e mestrado em História pela Universidade Federal de Alagoas (2006). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Alagoas, tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia, Ética e Ciências Humanas aplicada à saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: relações de gênero e dominação, opressão contra as mulheres, submissão e machismo, mulher e violência e mulher e sofrimento, racismo e relações étnico-raciais, diversidade religiosa e sexual.