Artista alagoano transforma sucata em réplica da taça da Copa do Mundo

Roninho Ribeiro faz esculturas em ferro e diz estar na expectativa pelo hexacampeonato da Seleção Brasileira

A Seleção Brasileira está em busca da taça da Copa do Mundo do Qatar e tem mais um desafio nesta sexta-feira (2), quando enfrenta a seleção Camaronesa. Em terras alagoanas, no entanto, o artista Roninho Ribeiro, confiante na conquista do título mundial, resolveu fazer a própria taça. O escultor é de Santana do Ipanema, no interior de Alagoas, e afirma que quem passa pela sua oficina não perde a chance de segurar a réplica.

O artista sertanejo costuma transformar ferro, incluindo sucata, em arte. A ideia de fazer um simulacro da taça da Copa do Mundo veio do clima que vem contagiando os brasileiros, da expectativa pela vitória verde e amarela na competição.

Roninho Ribeiro tem 55 anos e é autodidata. Em seu ateliê, que só abre com hora marcada, normalmente para turistas, Roninho consegue produzir até cinco peças por dia e se orgulha de finalmente viver da arte que produz. Com mais de 30 anos de ofício, somente há quatro ele produz peças em metal — o suficiente para ganhar reconhecimento nacional e até internacional.

“Comecei com pintura em tela, isso já tem mais de vinte anos. Mas a pintura em tela tem um público mais resumido, é uma arte mais requintada, pra ser mais explícito. E pra um artesão poder sobreviver, tem que expandir o público ao máximo”, conta Roninho Ribeiro.

Fazer esculturas com ferro era um projeto que eu tinha há muitos anos, mas eu não tinha coragem de colocar em prática porque eu não sabia nada de solda. Eu tinha colegas que eram soldadores, mas eles diziam que isso não dava futuro. Já que não quiseram, eu assumi essa responsabilidade”, completa.