China aprova uso da CoronaVac para crianças a partir de 3 anos, diz Sinovac

País é o primeiro no mundo a aprovar uma vacina contra a Covid-19 em crianças; Pfizer ampliou número de menores de 12 anos em testes de vacina

A China aprovou a CoronaVac para crianças e adolescentes de 3 a 17 anos de idade, anunciou, na sexta-feira (4), o diretor do laboratório Sinovac, que desenvolveu a vacina. Com a autorização, o país passa a ser o primeiro do mundo a aprovar uma vacina contra a Covid para crianças.

Ainda não se sabe quando as crianças vão começar a ser vacinadas.

"A Sinovac realizou um estudo clínico na população menor [de idade], que começou no início deste ano, com a conclusão dos ensaios clínicos de primeira e segunda fases", disse à TV estatal chinesa CCTV o diretor da Sinovac, Yin Weidong, segundo o jornal "South China Morning Post".

"Centenas de casos mostraram que, após a vacinação, o grupo [de 3 a 17 anos] é tão seguro quanto o grupo de adultos de 18 anos", afirmou Yin Weidong. Ele disse que os resultados devem ser publicados pela revista britânica "The Lancet".

Segundo o levantamento "Our World in Data", ligado à Universidade de Oxford, a China já havia administrado 794,13 milhões de doses de vacina até o dia 7 de junho. Não há dados sobre quantas doses são referentes à primeira ou segunda aplicações ou quantas pessoas estão completamente vacinadas.

Além da CoronaVac, a China também está aplicando as vacinas da Sinopharm (versões de Wuhan e Pequim) e da CanSino. A da CanSino é dada em apenas uma dose; a CoronaVac e as da Sinopharm têm duas doses.

A CoronaVac e a vacina da Sinopharm fabricada em Pequim já têm autorização de uso emergencial da Organização Mundial da Saúde (OMS) em adultos.

Nesta terça (8), a Pfizer anunciou que vai ampliar a quantidade de menores de 12 anos nos testes de sua vacina na Europa e nos EUA.

O novo estudo vai inscrever até 4,5 mil crianças e adolescentes em mais de 90 centros clínicos nos Estados Unidos, Finlândia, Polônia e Espanha, disse a empresa.

A Pfizer vai testar um esquema de duas doses de 10µg (microgramas) em crianças entre 5 e 11 anos de idade, e de 3µg para bebês e crianças de 6 meses a 5 anos.

Na fase anterior, foram testadas a segurança, a tolerabilidade e a resposta imunológica gerada por 144 bebês e crianças, de 6 meses a 11 anos, em um estudo de fase I. O esquema vacinal foi de duas doses, com 3 diferentes dosagens da vacina: 10, 20 ou 30µg para cada faixa etária.

A vacina da Pfizer já é autorizada para quem tem 12 anos ou mais na Europa, nos Estados Unidos, no Reino Unido e no Canadá, com a mesma dose que os adultos: 30µg. No Brasil, a empresa fez um pedido de autorização de uso à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Uso no Brasil

A CoronaVac e a vacina da Pfizer estão entre as três que estão sendo usadas no Brasil. A terceira é a vacina de Oxford/AstraZeneca. A vacina da Johnson/Janssen também tem permissão de uso no país, mas as primeiras doses ainda não chegaram.

Vacina AstraZeneca: quais os sintomas, as reações e os possíveis efeitos colaterais entre vacinados?

Até o dia 7 de junho, 10,87% da população brasileira, o equivalente a 23 milhões de pessoas, haviam recebido as duas doses de alguma das 3 vacinas.