Pião humano é formado na comissão de frente da Beija-Flor

Grupo de dez pessoas representou os delírios de Rás Gonguila, o homenageado no enredo da escola, que desfilou nesse domingo, 11

Para abrir o carnaval de 2024, a Beija-Flor de Nilópolis trouxe uma comissão de frente com 10 jovens engraxates que representaram os delírios de Rás Gonguila, o homenageado no enredo da escola, que desfilou nesse domingo, 11, na Sapucaí.

Dez deles se juntaram, montaram em uma estrutura e formaram um pião humano. No final da apresentação, o protagonista foi coroado e recebeu uma capa iluminada com 400 metros de LED.

"Começamos fazendo a base do pião, logo em seguida colocamos o topo e depois a parte da galera que está embaixo. A gente evitou de comer demais, para estar bem, para ninguém se sentir mal”, explicou o bailarino do Teatro Municipal Thiago Tononi.

A apresentação trouxe um resumo da vida do protagonista que trabalhava como engraxate, incorporando uma virada delirante para uma fase marcante na sua vida: o homenageado passa a se reconhecer como descendente de um príncipe etíope. A figura do pião é crucial nesta transformação e na composição de seu novo nome: Rás Gonguila.

A ideia da comissão partiu depois da escolha do samba enredo que remete a essa história de Rás com o pião. “Gira, mundo, feito pião que Gonguila de jeito". Com isso, a Comissão de frente foi adaptada.

Benedito dos Santos era engraxate no centro de Maceió, mas se tornou Rás Gonguila, o "herdeiro" do trono imperial de um país da África e também o fundador do maior bloco de carnaval de Maceió na época. As façanhas de Rás são contadas pelo amigo e historiador Carlito Lima.

Gonguila é uma expressão que ele se apropriou por não saber jogar pião. Isso por que, em Maceió, quem não sabia brincar com o brinquedo era chamado de gongado.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p