Yanomamis: 60 indígenas estão internados e 9 seguem na UTI

Há apenas um hospital em Roraima preparado para receber as 53 crianças indígenas Yanomamis com quadros de desnutrição e malária

Com casos de doença diarréica aguda, gastroenterocolite aguda, desnutrição, pneumonia, acidente ofídico e malária, 60 indígenas Yanomamis seguem internados no Hospital da Criança Santo Antônio (HCSA), em Boa Vista, capital de Roraima. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde encaminhadas ao Metrópoles, nesta segunda-feira (30/1), entre os pacientes na unidade hospitalar 53 são crianças e sete estão na unidade de terapia intensiva (UTI).

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Roraima possui 652.713, mas conta apenas com um hospital com a estrutura necessária para o atendimento de crianças de 0 a 12 anos.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, no ano passado ao menos 703 indígenas Yanomamis foram internados no HCSA. Destes, 58 foram por desnutrição.

Crise dos Yanomamis

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decretou emergência em saúde pública em território Yanomami como resposta aos números de casos por desnutrição e malária dentro da terra indígena. O atual mandatário visitou a área, em Roraima, e declarou que a população vive em uma situação “desumana”.

Os indígenas Yanomamis sofrem com a aproximação de garimpeiros ilegais dentro de seus territórios, responsáveis pela liberação de mercúrio nos rios e no solo dentro da terra.

A Polícia Federal (PF) abriu um inquérito para investigar se existe omissão do governo de Jair Bolsonaro (PL) em relação à saúde dos Yanomamis.