Menino de 8 anos sofre acidente grave em brinquedo na Praça Cacilda Becker, na Urca, Zona Sul do Rio

Criança teve fratura exposta na perna causada durante brincadeira com 'vai e vem' que era adaptado para cadeirantes, mas não tinha sinalização

Um menino de 8 anos sofreu acidente grave em um brinquedo na Praça Cacilda Becker, na Urca, Zona Sul do Rio. O acidente, que causou uma fratura exposta na perna esquerda, ocorreu no dia 5 e ele ainda está internado, com uma infecção adquirida no hospital.

O garoto estava empurrando um brinquedo chamado "vai e vem" adaptado para crianças em cadeiras de rodas. Segundo testemunhas do acidente, ele escorregou e teve a perna fraturada pela chapa de aço que fica em movimento e serve de base para os cadeirantes.

De acordo com a família, não havia nenhum aviso de que o brinquedo era adaptado para deficientes e poderia oferecer risco.

Uma das advogadas da família, Eliane Lima, afirmou que, além da Prefeitura do Rio, os pais da criança vão processar também o plano de saúde.

Ela conta que o menino só foi operado 18 horas após o acidente por causa da demora do plano em atender os chamados da família e fazer a transferência para um hospital especializado.

Ele foi levado pelos Bombeiros para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, Zona Sul do Rio, onde recebeu o primeiro atendimento. Os pais afirmam que tentaram chamar uma ambulância pelo plano de saúde e não foram atendidos.

Os médicos, segundo a família, orientaram a transferência para um hospital particular, onde teriam materiais de melhor qualidade para lidar com o caso.

Os pais, no entanto, tiveram dificuldade para conseguir a transferência com o plano de saúde. Apenas na manhã seguinte ao acidente ele foi para o Hospital Pediátrico da Lagoa, onde passou por cirurgia na parte da tarde.

Ele ficou internado por cinco dias e recebeu alta. No dia 18, no entanto, voltou a ser internado por uma infecção bacteriana adquirida no hospital, segundo a família.

O menino ainda está no hospital, tomando antibióticos na veia para tratar a infecção. Neste domingo, começou um novo tratamento para a perna chamado VAC. São curativos a vácuo aplicados em feridas traumáticas extensas agudas.

O que dizem os citados

A direção do Hospital Municipal Miguel Couto informou que o paciente deu entrada às 19h30 do dia 5 de novembro, "recebendo os atendimentos iniciais necessários e realizando exames na primeira hora na unidade". De acordo com o hospital "por opção dos pais, foi solicitada a transferência da criança para realizar a cirurgia em uma unidade particular, e a operadora de saúde enviou a ambulância por volta das 7h do dia seguinte".

"Ressalte-se que a transferência de paciente para unidade particular é um trâmite que deve ser ajustado entre a família e a operadora do plano de saúde."

A Comlurb afirmou que faz a manutenção, mas não instalou os brinquedos para crianças com deficiência na Praça Cacilda Becker. "Os brinquedos foram retirados e passaram por manutenção na fábrica da Companhia no último mês de maio, sendo recolocados em seguida em perfeito estado na praça. Os brinquedos, que devem ser usados somente por crianças cadeirantes, sofrem constantemente avarias por conta do uso indevido pelo público em geral."