Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > BRASIL

Jovem atacada com soda cáustica teve queimaduras dentro da boca

Mãe de Isabelly afirmou que o rosto da jovem está “perfeito” e que as queimaduras foram dentro da boca


				
					Jovem atacada com soda cáustica teve queimaduras dentro da boca
O último boletim médico divulgado informou que a jovem está em Londrina. Reprodução/ Arte Metrópoles

Segundo Regiane Ferreira, mãe de Isabelly Aparecida Ferreira Moro, jovem atacada com soda cáustica na última quarta-feira (22/5), em Jacarezinho (PR), a filha teve a parte interna da boca atingida pelo químico. A fala ocorreu durante entrevista em um programa de auditório da TV Globo, na manhã desta segunda-feira (27/5).

Inicialmente, a polícia divulgou que Isabelly tinha tido queimaduras na região do rosto e do peito, mas, de acordo com a mãe da jovem, o rosto dela está “perfeito”. “As queimaduras foram dentro da boca. Fora, não. Não tem nada no rosto dela. Está perfeita. Não afetou nenhum órgão, só a boca. Ela está conversando, está ciente de tudo o que aconteceu. Está bem, graças a Deus”, disse Regiane.

Leia também

A mãe de Isabelly acrescentou que estava no trabalho quando recebeu uma ligação da filha contando que havia sofrido um ataque. “Na hora que recebi a notícia, foi por ela mesmo. Ela quem me ligou. Ela pediu ajuda. Falou que alguém tinha jogado alguma coisa nela para queimar. Eu estava trabalhando e saí correndo. Quando cheguei ao hospital, ela já estava intubada na UTI”, detalhou.

O último boletim médico divulgado informou que a jovem está em Londrina, consciente e conseguindo falar.

Suspeita presa

Uma mulher, de 23 anos, foi presa, na última sexta-feira (24/5), suspeita de jogar soda cáustica em Isabelly Moro. A Polícia Militar chegou até ela após a própria acusada pedir ajuda ao funcionário de um hotel, afirmando que estava sendo perseguida.

Ela passou a ser suspeita ainda durante o testemunho de familiares e amigos de Isabelly. À polícia a família da vítima citou que ela havia brigado com o ex-namorado, preso por roubo. Os delegados também confirmaram que, no dia do ataque, a mulher não dormiu em casa, e também não buscou o filho na creche.

Ao questionarem a mulher sobre o caso, ela confirmou ter sido a autora do crime e também disse ter agido por ciúmes do atual namorado, ex-companheiro de Isabelly. Segundo a delegada Caroline Fernandes a suspeita teria comprado o produto usado no crime cerca de 15 dias antes do ataque, em um supermercado. Para a delegada, esse é um indício de que o crime foi planejado.

“Ela não manifesta arrependimento. Pedimos a prisão à Justiça, que expediu o mandado. Foi um crime planejado. Disse que queria dar um susto na vítima”, disse a delegada Caroline Fernandes

Leia a matéria completa em Metrópoles.com

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas