Criança escreve carta para Papai Noel e ganha cateterismo de presente de Natal

Moradora do Entorno do DF, Maria Júlia, 11 anos, nasceu com cardiopatia. Este ano, seu pedido ao bom velhinho foi: melhorar a saúde

A pequena Maria Júlia, de 11 anos, teve atendido seu inusitado pedido de Natal: a menina, que sofre de cardiopatia, pediu um cateterismo ao Papai Noel. A cartinha, escrita por ela mesma, acabou viralizando nas redes sociais. Agora, ela aguarda pelo procedimento no Hospital da Criança de Goiânia.
A vendedora Arilene Maria Fontinele, 41, mãe de Maria Júlia, conversou com o Metrópoles e contou um pouco da história da família. A filha nasceu com uma condição grave, um tipo de cardiopatia conhecido como "síndrome do meio coração". A menina já havia passado por 8 cirurgias anteriormente, quatro grandes e outras quatro menores, na esperança de estabilizar o quadro.
A mãe conta que, assim que Maria Júlia nasceu, teve a notícia de que a síndrome era incompatível com a vida. Moradoras da Cidade Ocidental, no Entorno do DF, mãe e filha passaram a frequentar Goiânia constantemente na busca de um tratamento. Os médicos afirmaram que seria necessário um cateterismo.
Ela esperava há meses no Sistema Único de Saúde (SUS) para poder realizar o procedimento. Enquanto isso, conta Arilene, o estado de Maria Júlia se agravava: ela apresentava um inchaço cada vez maior, assim como cansaço. O coração também começou um processo de enrijecimento, dificultando as batidas.
A família não teria condições de pagar pelo cateterismo fora do SUS. Como estavam na fila havia muito tempo, segundo Arilene, Maria Júlia ansiava pelo procedimento.
"Certa noite ela me perguntou ?Mamãe, e meu cateterismo?? E eu disse que teríamos a resposta naquela semana", detalha a vendedora. "Mas então ela disse ?vai nada, toda semana a senhora diz isso? e eu falei que ela precisava ter fé".
Arilene montou a árvore de Natal caseira na mesma noite, deixando uma meia como espaço para cartinhas ao bom velhinho. Já na manhã seguinte ela se deparou com o pedido de Maria Júlia.
"Este ano aconteceu uma coisa que me deixou chateada eu comecei a inchar em algumas partes do meu corpo", escreveu a menina. "Este Natal o meu presente seria esse o cateterismo eu ficaria muito feliz se você conseguisse, para eu parar de inchar". MARIA JÚLIA
"Quando eu li, olha, só Deus pra saber a emoção e a impotência que eu senti", se emociona a vendedora. "Ela poderia ter pedido um milhão de coisas, mas ela só queria ficar boa", recorda.
A carta, enviada por Arilene a uma amiga via WhatsApp, não demorou a viralizar. O caso comovente chegou até a equipe do Hospital da Criança em Goiânia, que doou o procedimento.
"Fomos muito bem recebidas, com livros e café da manhã. Ela ficou muito contente", diz a mãe. "Eu fiquei com um sentimento de gratidão que só uma mãe pode entender. Ao mesmo tempo, fiquei também de coração partido. Na inocência dela é só fazer o cateterismo e vai ficar tudo bem, mas pode ser que não seja assim, caso seja necessário um transplante".
No hospital, mãe e filha aguardam, cheias de fé, pela hora do procedimento. O cateterismo deve ser realizado na manhã desta terça- feira (15/12).