Brennand admite sexo “à força” com mulher: “Fiz com raiva, não fiz?”

Em áudio divulgado nesta segunda-feira (4/12), empresário faz diversas ameaças à mulher e pede que ela desminta denúncia feita contra ele

Em novos áudios, o empresário Thiago Brennand, acusado de crimes sexuais contra várias mulheres, admite ter feito sexo “à força” e “com raiva” com uma jovem que o acusa de estupro. Ela gravou conversas telefônicas que teve com Brennand em agosto de 2021. Os áudios foram revelados pelo portal UOL e divulgados nesta segunda-feira (4/12).

“Eu fiz à força e com raiva, não fiz?”, Brennand perguntou à mulher. “Fez”, ela respondeu. “E você dizendo ‘não, não’, eu fiz com raiva. Beleza. Tá certo. Eu assumo”, completou.

A mulher, uma produtora de Pernambuco que mora nos Estados Unidos, conheceu Brennand pelo Instagram no fim de julho de 2021. Ela viajou a São Paulo no mês seguinte para conhecê-lo pessoalmente. Quando retornou a Recife, passou a gravar as conversas.

O empresário aguarda sentença relativa a esse caso. Ele é réu em diversos processos e já foi condenado em outro caso de estupro e um de agressão. Brennand está detido no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo.

Brennand – Na hora que você disse “não”, eu te ameacei e disse que ia te quebrar?

K. – Não.

Brennand – Outra coisa, por exemplo, eu botei uma arma na sua cabeça?

K. – Não.

Brennand – Pois é, mas eu fiz à força e com raiva, não fiz?

K. – Fez.

Brennand – E você dizendo “não, não”, eu fiz com raiva. Beleza. Tá certo. Eu assumo.

“Promete nunca mais bater em mim?”

Em um trecho da conversa, Brennand promete “nunca mais” agredir a produtora. Ele afirma que pretende ir à delegacia para explicar o que aconteceu.

K. – Você promete nunca mais bater em mim?

Brennand – Prometo. Dou minha palavra. Dou minha palavra. Na frente de quem quiser aí.

K. – Não, não quero que ninguém fique sabendo que você bateu em mim.

Brennand – Mas eu quero. Eu faço questão. Não quero sair daí [Recife] com a coisa suja, não. Quero conversar com quem fez o BO, quero dizer o que houve. Quero “come clean” [esclarecer].

“Vagabunda”, “puta” e “psicopata”

A partir de certo momento, Brennand começa a ficar agressivo e a fazer ameaças à mulher. O empresário afirma que, se ela não retirar a denúncia que havia feito, ele iria expor a gravação da relação sexual entre os dois.

Brennand – Você está confundindo as bolas. Uma coisa é você estar com dor no sexo anal, outra coisa é uma pessoa estar fazendo sexo não consensual. Presta atenção no que você diz, porque é perigoso o que você diz.

Dias depois, ele passou a ser agressivo, xingando-a de “vagabunda”, “puta” e “psicopata”.

Brennand – Você teve um episódio na minha casa. Tudo bem que eu fodi com você pesado, tá? Tudo bem que quando você me afrontou, me chamou de mentiroso, eu te dei um tapa. Tudo bem, cara. Eu poderia me desculpar a vida inteira por aquilo ali, tá certo. Mas, não, você se mantém lá e me agride pelas costas [referindo-se ao fato de denunciá-lo].

Brennand – Eu tenho o sexo todo gravado. Você quer ser desmoralizada em público?

Brennand a convenceu a ir à delegacia para desmentir um boletim de ocorrência aberto pelo irmão dela. Ela desmentiu, depois voltou atrás, mas o caso acabou arquivado à época.

Condenações

No começo de outubro, a Justiça de São Paulo condenou Thiago Brennand a 10 anos e seis meses de prisão, em regime fechado, pelo crime de estupro contra uma norte-americana, cometido em 2021.

Na sentença, o juiz Israel Salu, da 2ª Vara de Porto Feliz, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), também determinou que Brennand deve pagar indenização por danos morais de R$ 50 mil para a vítima. O Ministério Público de São Paulo (MPSP) havia pedido R$ 1 milhão.

No fim de outubro, Brennand foi condenado a um ano e oito meses de prisão em regime semiaberto por agredir uma modelo em uma academia de musculação no shopping Iguatemi, em São Paulo. O julgamento ocorreu no último dia 27 na 6ª Vara Criminal Central do Tribunal de Justiça de São Paulo. O processo tramita sob sigilo.

Brennand ainda terá que pagar uma indenização de R$ 50 mil à vítima, Helena Gomes. Ele pode recorrer.

A agressão ocorreu em agosto do ano passado. Imagens das câmeras internas mostram o empresário batendo no tórax da mulher, puxando seus cabelos e cuspindo em seu rosto.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p