Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > BRASIL

Brasil vive boom de febre oropouche e chega a 5 mil casos em 2024

Doença que era endêmica de estados da região Norte foi identificada em estados do Sul e Sudeste


				
					Brasil vive boom de febre oropouche e chega a 5 mil casos em 2024
O número é seis vezes maior que o registrado em todo o ano passado. Smith Collection/Gado/Getty Images

O Ministério da Saúde divulgou, na última terça (14/5), um boletim epidemiológico que aponta 5.102 casos da febre oropouche no Brasil, sendo 2.947 deles na Amazônia, 1.528 em Rondônia e os demais distribuídos pelo país. O número é seis vezes maior que o registrado em todo o ano passado, quando foram 832 pacientes confirmados com a doença.

O disparo no número de infecções fez com que a doença fosse encontrada em estados onde anteriormente era desconhecida. Característica de estados da região Norte, a oropouche passou a ser registrada também no Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.

Leia também

Casos por todo o país

No Norte, a doença já foi identificada em todos os estados, com exceção do Tocantins. No Nordeste, foi encontrada no Maranhão, Piauí e Bahia — a quantidade de casos em Salvador e na região baixo-sul do estado é preocupante, e especialistas suspeitam que a doença já tenha se tornado endêmica no local.

No Sudeste, Espírito Santo e Rio de Janeiro confirmaram seus primeiros casos na história. No Sul, Santa Catarina e Paraná têm pacientes confirmados com a infecção. No Centro-Oeste, Cuiabá (MT) tem vivido uma explosão de casos.

Em entrevista anterior ao Metrópoles, o pesquisador Felipe Gomes Naveca, chefe do Laboratório de Arbovírus e Vírus Hemorrágicos do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), falou sobre as possíveis explicações para a disseminação da doença pelo país.

“Acreditamos que a principal variável para o aumento de casos são as mudanças climáticas, que levaram a temperaturas altas e chuvas intensas. Essa situação impacta a disseminação dos mosquitos transmissores, favorecendo que a doença se espalhe”, explicou.

O que é a febre oropouche?

A febre oropouche é uma doença viral que tem sintomas muito parecidos com os da dengue (febre, mal-estar, fadiga, dores musculares e desconfortos intestinais), o que pode confundir os diagnósticos.

Não são conhecidos óbitos relacionados diretamente à doença, mas a oropouche pode levar a inflamações nas meninges (tecidos que recobrem o cérebro), que podem causar consequências permanentes.

Não existe tratamento específico para a doença. Porém, o acompanhamento médico é importante para aliviar os sintomas e ajudar o corpo a combater a infecção viral.

Leia a matéria completa em Metrópoles.com

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas