A pedido de Russomanno, juiz de SP suspende divulgação de pesquisa

Russomanno estava em queda nas últimas pesquisas do instituto.

A Justiça Eleitoral de São Paulo suspendeu nesta terça-feira (10) a divulgação de uma pesquisa do Datafolha sobre a eleição para a prefeitura de São Paulo a pedido do candidato Celso Russomanno (Republicanos). No pedido, a campanha de Russomanno alega que o levantamento estaria "em desacordo com a legislação e a jurisprudência eleitoral".
A coleta da pesquisa, encomendada pelo jornal "Folha de S.Paulo" e pela TV Globo, seria realizada entre os dias 9 e 10 de novembro e a sua divulgação estava prevista para esta quarta-feira (11). O Datafolha afirma que irá recorrer da decisão liminar.
A solicitação de Russomanno foi acatada pelo juiz eleitoral Marco Antonio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo.
Na ação movida pelo pela Coligação Aliança por São Paulo (Republicanos e PTB), a campanha de Russomanno alega que a pesquisa deve ser suspensa porque "não há ponderação dos entrevistados quanto ao nível econômico" e "assinatura ou certificação digital do estatístico responsável pela pesquisa".
Além disso, a campanha cita "irregular fusão de estratos quanto ao grau de instrução dos entrevistados - como somar nível fundamental e nível médio" e "simulação tendenciosa de segundo turno diante da ausência de simulações sem a presença do candidato a reeleição Bruno Covas".
Em nota, a Associação Nacional de Jornalistas (ANJ) lamentou o que chamou de "censura judicial". "A ANJ protesta contra a decisão e espera que ela seja rapidamente revogada, pois o acesso às informações contidas na pesquisa é um direito de todos os cidadãos, sobretudo dos eleitores paulistanos", diz o texto.
Segundo Alessandro Janoni, diretor de pesquisas do Datafolha, o instituto utiliza como referência nas eleições de 2020 as mesmas variáveis de planejamento amostral e ponderação dos dados que há mais de 35 anos dita o monitoramento dos pleitos da cidade de São Paulo, com o objetivo de representar todos os estratos do eleitorado paulistano.
"Causa espanto e é preocupante um pedido de impugnação da divulgação justamente agora quando o candidato que solicita a censura apresenta queda nas intenções de voto. É um ataque ao direito do eleitor de se informar, uma ação antidemocrática", afirmou Janoni em entrevista à "Folha de S.Paulo".
Nas últimas pesquisas feitas pelo instituto, Russomanno aparecia em queda nas intenções de voto. Na pesquisa divulgada na última quinta-feira (5), o candidato do Republicanos havia perdido 4 pontos percentuais em relação ao levantamento anterior, de 22 de outubro (veja no vídeo abaixo).
Posicionamento da ANJ
"A Associação Nacional de Jornais (ANJ) lamenta mais um caso de censura judicial, agora contra a divulgação de pesquisa eleitoral feita pelo Datafolha sobre o pleito na cidade de São Paulo. A pesquisa se utiliza dos mesmos parâmetros há mais de 35 anos aplicados nas eleições em São Paulo, mas mesmo assim a Justiça Eleitoral considerou que ela pode estar em desacordo com a legislação.
A ANJ protesta contra a decisão e espera que ela seja rapidamente revogada, pois o acesso às informações contidas na pesquisa é um direito de todos os cidadãos, sobretudo dos eleitores paulistanos.
Pesquisas eleitorais são elementos fundamentais na vida democrática e cerceá-las é afronta à própria democracia.
Brasília, 10 de novembro de 2020.
Associação Nacional de Jornais - ANJ"