Artigo | Patricia Freire de Vasconcelos

PLANEJAMENTO DE CARREIRA EM TEMPOS CRISE: QUAL A MELHOR ESTRATEGIA?

Independente do momento, sonhe, planeje, escreva tudo o que quer para si e sobretudo seja feliz no processo

Patricia Freire de Vasconcelos

Enfermeira, professora universitária, servidora pública, coach, doutora em cuidados clínicos e mestre em neurofarmcologia

Pensar em planejar a carreira ainda é distante da realidade dos estudantes brasileiros no ensino médio. Na universidade, ainda pouco debatido. Entretanto, nunca foi tão necessário discutir sobre esse tema e despertar desde cedo a ideia de planejar sua carreira estudantil e as melhores estratégias para alcançar seu objetivo. Com isso, impedimos que estudantes caiam no “modismo” da profissão e/ou formação do momento.

Alguns perguntam: mas como saber tão jovem o que queremos ser? A resposta de fato é pertinente, porém entra em outra seara também pouco percorrida nas instituições de ensino de uma forma geral: autoconhecimento! Mas essa discussão é para outro momento.

De fato, justamente por serem jovens, os estudantes necessitam de um acompanhamento direcionado de alguém mais experiente para orientar e pontuar aspectos importantes e inerentes as aptidões e as possibilidades de desenvolvimento de aptidões necessárias para o mercado atual: as soft skills.

Mas se antes da pandemia, falar sobre planejamento de carreira já se fazia necessária, agora é uma questão de sobrevivência. Com o cenário incerto, o planejamento de carreira pode ser aliado para o controle da ansiedade. O planejamento não garante que os resultados serão alcançados, mas permite que metas e objetivos direcionem para o melhor caminho.

Então, se você está lendo esse artigo e ainda nem sequer sabe o que quer fazer profissionalmente, isso não é em si um problema. Pode ser uma oportunidade de buscar suas aptidões, interesses e possibilidades para direcionar sobre o que quer fazer!

No pós pandemia, estando o mundo em crise, como pensar na carreira? O primeiro passo pode ser as soft skills! Desenvolver o que chamam de habilidades não técnicas ou também chamada no mundo corporativo de People Skills. Tais habilidades são escassas e concorridas no mercado hoje e pouco exploradas nos ambientes de aprendizagem formal.

Repensar a inserção destes temas ainda esbarra nas questões formativas rígidas focadas apenas em performance e habilidades técnicas. Necessário também, porém mais do que nunca no cenário pós pandemia, apenas isso, não atende mais a necessidade do mercado.

Mas se o planejamento não sair como previamente estabelecido? Vou te contar um segredo: na grande maioria das vezes não sai! Mas dá um bom direcionamento para escolhas e possibilidades assertivas. Num cenário de incertezas como estamos agora, para você que ainda está na escola, definir agora será mais tranquilo para quem já está no mercado e tendo que se adaptar aos desafios. Porém, o importante dessa caminhada é não desistir, persistir e sobretudo não ser tão exigente com as suas escolhas, que por ventura podem não acontecer da forma planejada inicial. E tá tudo certo!

Agora o recado é: independente do momento, sonhe, planeje, escreva tudo o que quer para si e sobretudo seja feliz no processo e aceite bem aquilo que não foi bem como foi planejado! Como diria um grande pensador em terras alencarianas, coisa boa é ter cabeça boa! Não deixe que os cenários, definam sua carreira, mas aproveite o momento para ajustar as velas do seu planejamento e observar os diferenciais do mercado! Quem planeja se antecipa e vê além!