Artigo |

Melhores e piores escolhas alimentares

A nutricionista e natural chef Carolina Sofia da Silva fala da importância da alimentação saudável e equilibrada em nossas vidas

Uma alimentação saudável interfere não só na saúde física, mas também na saúde mental. Sim, manter uma alimentação baseada em comida natural é algo que requer disciplina e atenção da nossa parte. Mas manterá o nosso organismo saudável, além de melhorar a imunidade, aumentar a disposição e prevenir doenças.

MELHORES ESCOLHAS:

PRODUTOS ORGÂNICOS

Apesar de ainda ser para um público muito restrito, já pelo alto valor comercial se comparado aos hortifrutis tradicionais, os produtos orgânicos podem ser substituídos pelos produtos de época, que possuem menos agrotóxico. Uma dica valiosa é criar um pequeno pomar e uma horta no quintal de casa ou na sacada do apartamento. Com a opção dos variados modelos de vasos e de jardins verticais, fica mais viável de plantar legumes, temperos e frutíferas, deixando o ambiente charmoso e a alimentação saudável.

PROTEÍNAS ORGÂNICAS

Infelizmente, muitas carnes ainda contêm hormônios. O ideal seria o consumo de carne orgânica, apesar do alto valor no mercado. Deve-se tomar muito cuidado com o exagero no consumo de carne, que pode trazer malefícios para o organismo. O ideal seria consumir diariamente dois gramas, por quilo de peso da pessoa.

GORDURAS SAUDÁVEIS

As melhores fontes são azeite importado (de boa procedência), óleo de coco, manteiga de coco, abacate, ovos e castanhas. A gordura precisa ter qualidade. O óleo e a manteiga de coco são os produtos mais indicados para refogar algum ingrediente, já que não sofrem alterações em altas temperaturas. Entre os óleos, também estão o de abacate e o de linhaça, apesar do sabor mais marcante. Mas todos devem ser consumidos com moderação.

PIORES ESCOLHAS:

AÇÚCAR

É importante sempre retirar qualquer tipo de açúcar da alimentação. Um dos menos prejudiciais ainda é o açúcar de coco, que tem um índice glicêmico mais baixo e não aumenta tanto o nível de insulina. Mesmo assim, recomenda-se os adoçantes naturais, como stevia e xilitol, para fazer a transição. Já os adoçantes artificiais devem ser evitados visto que causam ainda mais compulsão alimentar, aumentando a vontade de consumo de doces, além de alguns serem considerados cancerígenos.

SUCO DE FRUTAS

Mesmo que o suco seja natural e não adoçado, ele contém poucas fibras e uma grande quantidade de calorias. Por isso é tão importante consumir a fruta, ao invés do suco, já que as fibras garantem a saciedade e a frutose entra de maneira mais lenta na corrente sanguínea, aumentando a insulina aos poucos. A versão líquida resulta em um pico de insulina que acaba gerando mais fome.

PRODUTOS DE SOJA

Além de ser transgênica (geneticamente modificada), que pode ser cancerígena, a soja se comporta como um hormônio no organismo humano. Procure dar preferência aos produtos com grão de bico ou lentilha. Muitas receitas com esses alimentos podem ser preparadas em casa, mas a única dica é que as leguminosas sejam deixadas de remolho na água por no mínimo seis horas, pela questão de causar desconfortos abdominais e prejudicar a absorção das vitaminas.

LEITES E DERIVADOS

A lactose e a caseína são inflamatórias. Como o nosso organismo é uma máquina perfeita, passamos a produzir menos lactase a partir do desmame. Por isso, o consumo de lactose acaba gerando diversos problemas, como excesso de secreções que causam doenças respiratórias, problemas intestinais e enxaqueca crônica. A pedida é substituir o leite e seus derivados por leite de coco ou amêndoas. A mussarela de búfala também é menos inflamatória”.