Jovem é preso após dizer que polícia era 'p... nenhuma' e dar soco em ombro de comandante

Fato aconteceu quando a guarnição avistou um rapaz urinando no espaço público em Campo Grande

Um jovem de 24 anos foi preso, na noite dessa quarta-feira (18), após desacatar homens da Polícia Militar de Alagoas (PM-AL), em frente à Praça Padre Cícero, no centro da cidade de Campo Grande, interior de Alagoas.

Ele foi preso pelos crimes de desobediência, desacato, ameaça e difamação após dizer que a guarnição era "p... nenhuma" e dar um soco no ombro do comandante da guarnição.

O fato aconteceu quando a guarnição do Grupamento de Polícia Militar (GPM) de Campo Grande estava em rondas e avistou no local informado um jovem urinando no espaço público com muitas pessoas.

Os militares se deslocaram até o rapaz e, ao ser perguntado se não teria banheiro em sua residência, o jovem respondeu que urinava onde quisesse e na hora que precisasse.

Ele continuou os xingamentos contra a toda instituição da PM-AL dizendo que a guarnição não era "p... nenhuma" e que a polícia de verdade só tinha em São Paulo.

Os policiais, então, começaram a verbalizar para que fosse feita a busca pessoal no rapaz, que se negou a colocar as mãos atrás da cabeça e afastar as pernas para a busca.

O jovem continuou com os insultos e não obedeceu aos comandos dos policiais, precisando ser utilizado o uso progressivo da força, por meio do spray de pimenta.

Ele partiu para cima dos policiais e deu um soco no ombro do comandante, que deu voz de prisão ao jovem por desacato, desobediência, ameaça e difamação.

Ele ainda resistiu à prisão e não parou com as agressões, a ponto de ser necessário o pedido de apoio das equipes do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) de Girau do Ponciano por conta de que mais indivíduos conhecidos dele se aglomeraram e cercaram os policiais.

Quando o apoio chegou, foi realizado o procedimento padrão de abordagem, no qual foi preciso o uso das algemas. Mesmo o jovem contido na cápsula de retenção, continuou com as ações anteriores contra a guarnição.

A polícia solicitou a alguns familiares no local para que fossem buscar os documentos do rapaz, que se negou a dizer onde morava. Os documentos foram recebidos ainda na praça principal da cidade pela irmã dele. Após a abordagem, a polícia o encaminhou à cidade de Palmeira dos Índios.

Ainda na viatura, o jovem continuou com as ameaças e, posteriormente, no interior da delegacia, dizendo: "Vocês vão ver, seus p*u no c*. Arr*mb*dos, bandidos, isso não vai ficar assim. Eu sei onde vocês trabalham".

A advogada do indivíduo presenciou o fato. Os procedimentos cabíveis foram tomados em desfavor do jovem, que foi autuado em flagrante.