Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > ALAGOAS

RAV atendeu mais de 300 menores vítimas de estupro em AL este ano

Número é mais que a metade do registrado durante todo o ano de 2023


				
					RAV atendeu mais de 300 menores vítimas de estupro em AL este ano
Área Lilás no HGE, em Maceió. Foto: Arquivo

De janeiro a março deste ano, a Rede de Atenção às Violências de Alagoas (RAV) atendeu a 336 crianças e adolescentes vítimas de violência sexual no Estado. O número é mais que a metade do registrado durante todo o ano de 2023, quando foram atendidas 605 vítimas.

Só na Área Lilás do Hospital da Mulher, em Maceió, foram 316 vítimas, enquanto, no mesmo período do ano passado, foram 219.

Leia também

A maioria das vítimas atendidas no primeiro trimestre era do sexo feminino, com idades entre 10 e 14 anos, segundo Taylise Nunes, coordenadora da RAV.

"Também recebemos crianças abaixo dessas idades, onde conseguimos fazer o acolhimento. Temos uma equipe especializada para o atendimento lúdico e acompanhamento dessas crianças e adolescentes", disse.

A RAV foi ampliada em todo o Estado. Além do Hospital da Mulher, que funciona 24 horas, as vítimas podem realizar denúncias e receber atendimentos e encaminhamentos necessários no Hospital Geral do Estado (HGE), no Complexo de Delegacias Especializadas (Code), no Hospital Regional do Alto Sertão, em Delmiro, no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca, e no Hospital Regional do Norte.

"No Hospital da Mulher, contamos com uma equipe multidisciplinar, composta por psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, ginecologistas, peritos do IML [Instituto Médico Legal] e policiais civis", pontuou Nunes.

As vítimas atendidas pela RAV passam por acompanhamento psicológico. "Devemos identificar e garantir que as crianças e adolescentes recebam os acompanhamentos necessários", finalizou a coordenadora da RAV.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas