Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > ALAGOAS

Alagoas é o estado que mais reduz casos de feminicídios no Nordeste

Com queda de 38,7%, número registrado em 2023 deixa estado em segundo lugar no comparativo nacional

Imagem ilustrativa da imagem Alagoas é o estado que mais reduz casos de feminicídios no Nordeste
| Foto: Ascom PCAL

O combate à violência doméstica e a ampliação da rede de apoio às mulheres vítimas de violência em Alagoas fizeram o estado reduzir em 38,7% o número de feminicídios em 2023 em comparação ao quantitativo registrado no ano anterior. Este total, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira (7), pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revela que Alagoas é o estado que mais reduziu o número deste tipo de crime no Nordeste.

Conforme os dados, que inclusive foram apresentados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública durante coletiva realizada na segunda quinzena de janeiro deste ano, foram 19 casos registrados no território alagoano em 2023, enquanto em 2022 o total chegou a 31. No comparativo com o primeiro ano após a criação da lei sobre o tema, Alagoas diminuiu 47,2% (2016: 36 casos). Na região, o segundo que mais reduziu foi o estado do Maranhão com menos 31,9%.

Leia também

Ainda de acordo com os dados do ano passado apresentados pela entidade, quando se compara os casos por unidade federativa, Alagoas fica em segundo lugar, perdendo apenas para o Amapá, onde o número de feminicídios caiu de 8 para 4 (-50%). Também conforme o Fórum, o quantitativo registrado em Alagoas, no ano passado, representa uma taxa de 1,2 mulher morta para cada grupo de 100 mil habitantes, ficando abaixo das médias nacional e regional que ficaram em 1,4.

Segundo o secretário da Segurança Pública de Alagoas, Flávio Saraiva, a redução demonstra que o trabalho integrado em prol de ações preventivas e repressivas tem surtido efeito importante.

“O número de feminicídios registrado em Alagoas foi o menor dos últimos oito anos. Se compararmos com o último ano antes da pandemia (2019), a redução deste tipo de crime passa de 56%. As forças de segurança estão trabalhando ainda mais unidas para combater a violência contra as mulheres em razão do gênero criando estratégias bem pensadas e taticamente viáveis, como operações conjuntas, uso especializado dos canais de denúncia, reforço no atendimento humanizado às vítimas de violência domestica e o acompanhamento das mulheres que ingressam com o pedido das medidas protetivas”, avaliou.

O secretário Flávio também enalteceu os investimentos que foram feitos, inclusive com o apoio do Governo Federal, para combater a violência de gênero. “Criamos a Delegacia da Mulher 24 horas, estamos interiorizando o serviço, ampliando o número de Salas Lilás nos Centros Integrados de Segurança Pública, capacitamos mais de nove mil agentes de segurança com o primeiro curso de atendimento às vítimas de violência doméstica e familiar e a Comissão Mulher Segura fez parceria com a AMA [Associação dos Municípios de Alagoas] para instruir a comunidade escolar sobre os tipos de violência e consequentemente alertar e apoiar no que for preciso. Além disso, lançamos, em nosso estado, junto ao Ministério da Justiça e Segurança Pública o Pronasci 2, que tem o objetivo de articular ações de segurança pública, principalmente no enfrentamento à violência contra a mulher, recebendo inclusive viaturas para serem usadas pela Patrulha Maria da Penha e delegacias da Mulher e tem verba do Fundo Nacional de Segurança Pública sendo destinada com foco neste trabalho, que tem sido um dos focos da atual gestão”, finalizou Flávio Saraiva.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas